Skip to content

11/12/2017

ford 1

ford 2

ford 3

Linda fazendinha à venda em Taguatinga-TO, próxima a Luís Eduardo Magalhães.

425365

Vende-se fazendinha de 39 hectares, com 20 hectares prontos para plantio ou formar pasto. Toda cercada com arame liso e divisão de pasto. Oitocentos metros de frente para estrada vicinal.

Muita água, veredas nascendo dentro da propriedade, energia, pequena casa (48 m²) para caseiro, a 4 quilômetros do centro de Taguatinga-TO. Sinal de todas as operadoras de celular e possibilidade de internet

Geo-referenciada e com escritura pública.

A apenas 20 km da Cachoeira do Registro e do Rio Azuis. Aceito imóvel residencial de boa qualidade construtiva em parte da permuta. Avaliada em R$390 mil.

Para pagamentos em dinheiro, R$280 mil, financiados em até 6 prestações semestrais.

Contatos: 77-99992-7355

 

433267

 

DIA DA FAMÍLIA

 

Hoje tem Grêmio x Pachuca na semifinal do Mundial de Clubes

12/12/2017

O time mexicano jogou muito mal a primeira partida, contra oa equipe marroquina do Wydad Casablanca. No entanto, o Grêmio não pode entrar em campo de salto alto. Esqueça de moleza em futebol.Quando o time dos baixinhos está decidido pode ser uma praga. Que os gremistas preparem seus corações e os coloradores liguem os secadores.

O jogo se inicia às 15 horas de Brasília, portanto às 14 do Oeste baiano.

Safra de 2018 será 9,2% menor, diz IBGE em segunda avaliação

12/12/2017

Soja e algodão devem substituir em parte a redução da área de milho, calculada em 22% menor aqui no Oeste baiano.

Safra deve ter 219,5 milhões de toneladas em 2018, 22,4 milhões a menos do que a produção esperada para 2017. Previsão é do IBGE, que faz suas contas dentro do ano fiscal, de janeiro a dezembro.

Para se ter uma ideia, todo o Oeste da Bahia produz em torno de 5 milhões de toneladas de grãos e fibras. O déficit produtivo no País é quase igual a duas vezes a produção do Oeste baiano.

O Brasil país deverá ter, em 2018, uma safra de cereais, leguminosas e oleaginosas 9,2% menor do que a produção deste ano. O segundo prognóstico da safra de 2018, divulgado hoje (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Rio de Janeiro, prevê uma safra de 219,5 milhões de toneladas em 2018, 22,4 milhões a menos do que a produção esperada para 2017.

A queda prevista por esse segundo prognóstico é ainda maior do que a feita pela primeira estimativa, divulgada em novembro, que previa um recuo da safra de 8,9%.

Entre os cinco principais produtos para a próxima safra, três devem apresentar quedas na produção: arroz em casca (-8%), milho em grão (-15,9%) e soja em grão (-5,9%). São esperadas altas na produção de algodão herbáceo (4,5%) e de feijão em grão (4,1%).

Safra de 2017 será maior

O IBGE também divulgou hoje sua 11ª estimativa para a safra de cereais, leguminosas e oleaginosas de 2017, realizada em novembro. De acordo com o instituto, a safra deste ano deverá ser 0,1% maior do que a estimada pelo décimo levantamento, realizado em outubro.

Espera-se que o ano seja encerrado com uma safra 30,2% maior que a de 2016: 241,9 milhões de toneladas, ou 56,1 milhões de toneladas a mais do que no passado.

Entre as principais lavouras, a soja deverá fechar 2017 com uma alta de 19,4%, o arroz com um crescimento de 17,4% e o milho com aumento na produção de 55,2%.

CONAB também acompanha previsão de redução da safra

A pesquisa da CONAB refere-se ao ano agrícola, com plantio em 2017 e colheita em 2018. Por isso difere dos números do IBGE.

A safra de grãos 2017/2018 está estimada em 226,5 milhões de toneladas. Os  números representam um recuo de 4,7% em relação à safra passada, de 237,7 milhões de t., considerada um feito excepcional do setor agrícola brasileiro. Mas a expectativa é de comportamento semelhante ao de ciclos anteriores, tendo como aliado o clima que favorece o bom desenvolvimento dos cultivos. A previsão está no 3º Levantamento da Safra de Grãos 2017/2018, divulgado nesta terça-feira (12) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O plantio das principais culturas já terminou. Soja e milho continuam com a preferência do produtor, e respondem por cerca de 89% dos grãos produzidos do país. A soja deve alcançar 109,2 milhões de toneladas contra 114,1 milhões/t do último período. Já a expectativa para o milho total é de 92,2 milhões, contra 97,8 milhões/t distribuídos entre primeira e segunda safras no período 2016/2017. A primeira safra pode alcançar números menores no ciclo atual e ficar em 25 milhões de t, enquanto que a segunda safra pode alcançar 67,2 milhões de toneladas, quase igualando ao registro da produção passada de 67,4 milhões/t. Por outro lado, o algodão em pluma deve alcançar 1,7 milhão de toneladas, com aumento de 10,5% na produção e de 11% na área, marcando números próximos a mil hectares.

No caso da área total plantada, favorecida pelo aumento do plantio de algodão e principalmente da soja, estima-se um aumento de 0,9%, podendo chegar a 61,5 milhões de hectares. A soja, graças à maior liquidez e a possibilidade de melhor rentabilidade em relação a outras culturas, deve ter uma elevação média de 3,1%, podendo alcançar 35 milhões de hectares – aumento de 1 milhão de hectares frente a 2016/2017.  Já a área do milho primeira safra deve diminuir 9,6%, o que vai refletir na área total da cultura, estimada  em uma redução de 528 mil hectares. 

Quanto à produtividade, os números se baseiam em análises de séries históricas, levando-se em conta que a safra ainda está em fase de plantio. Apenas a soja conta com informações colhidas em campo, que  apontam para uma produtividade de 3.123 kg/hectares contra 3.364 da safra anterior.

 A pesquisa foi feita nos principais centros produtores de grãos do país, do dia 14 a 25 de novembro.

Polícia Federal realiza hoje operação contra tráfico de drogas em vários estados

12/12/2017

Uma ação conjunta da Polícia Federal com a Polícia Civil e a Polícia Militar foi deflagrada na manhã desta terça-feira (12), para coibir crimes de tráfico de drogas, lavagem de dinheiro, entre outros decorrentes da atuação de integrantes de facção criminosa. Esta é a segunda fase da Operação Última Estação que foi iniciada em setembro em alguns estados do país. 

Estão sendo cumpridos 11 mandados de prisão preventiva, seis de condução coercitiva e 19 de busca e apreensão nas cidades de Salvador, Porto Seguro, Alagoinhas, Dias D’Ávila, Camaçari e Serrinha, na Bahia; além de Aracaju, em Sergipe; Maceió, em Alagoas; e Goiânia, em Goiás. Também estão sendo cumpridas 22 medidas de bloqueio de contas bancárias utilizadas pelos investigados.

Na primeira fase da operação foram cumpridas buscas, apreendidos bens e bloqueados mais de 40 mil reais auferidos ilicitamente pelo traficante Marcelo Batista dos Santos, o Marreno, morto há pouco mais de um mês, em Salvador, em confronto com policiais militares.

No decorrer das investigações foi identificado que outros integrantes da organização criminosa agiam da mesma forma, ou seja, lavavam o dinheiro vindo do tráfico de drogas e faziam circular em contas bancárias de terceiros ou abertas com identidades falsas e adquiriam imóveis e outros bens em nome de terceiros.

4,92 milhões de idosos estão com o nome sujo

12/12/2017

Três em cada dez consumidores entre os 65 e 84 anos estão inadimplentes, revela pesquisa do SPC Brasil. A crise econômica jogou os velhinhos num limbo indesejável e perverso.

Quase 5 milhões de consumidores idosos, na faixa dos 65 aos 84 anos, fecharam o mês de novembro com o nome sujo. Esse número significa que três em cada dez consumidores dessa faixa etária  estão inscritos em alguma lista de devedores, segundo levantamento do SPC Brasil e da CNDL (confederação dos dirigentes lojistas).

O percentual é alto, mas não supera o endividamento dos mais jovens. A faixa etária com o maior número de devedores inadimplentes é aquela entre os 30 e 39 anos. No mês passado, quase a metade dessa população (49%) estava com o nome sujo – ou seja, 16, 93 milhões de consumidores dessa idade estão negativados.

Considerando toda a população adulta, o número de inadimplentes segue alto no país. Ao final do mês passado, havia no país 59,9 milhões de negativados. Ou seja, quatro em dez brasileiros adultos estão com o nome cadastrado em algum serviço de proteção ao crédito.

Ainda de acordo com a pesquisa, a quantidade de dívida em atraso em novembro caiu 3,8% na comparação com o mesmo mês do ano assado. “Isso quer dizer que o consumidor inadimplente tem iniciado o pagamento de dívidas em atraso aos poucos. Além disso, a partir do início da crise, a tomada de novos empréstimos diminuiu”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.
As dívidas com bancos correspondem à metade dos pagamentos em atraso. Em segundo lugar, o comércio concentra 20% dos débitos. Do jornal Agora.

Nosso presidente é muito simpático!

12/12/2017

Quem vai pra sacada, nesta terça-feira, bater uma panelinha?

12/12/2017

Petrobrás elevará novamente os preços da gasolina em 1,4% e do diesel em 1,8% a partir desta terça-feira (12). A internauta Marilu Parreiras apresentou uma foto sugestiva para animar o evento:

 

Só três vereadores votaram contra Oziel gastar nosso dinheiro como quiser

11/12/2017

Dos 15 vereadores de Luís Eduardo Magalhães, só três, Filipe Fernandes, Kenni Henke e Márcio Rogério, votaram contra o remanejamento de 100% das verbas orçamentárias da Prefeitura para o próximo ano. Honrosas exceções do parlamento eduardense.

A votação veio em uma sessão extraordinária, quase secreta, nesta quinta-feira que passou.

Isso significa que o prefeito Oziel Oliveira pode aplicar, do jeito que bem quiser, como quiser, quando quiser, a totalidade das verbas do Município.

Em outras palavras: os vereadores que votaram a favor abrem mão de sua missão principal, a fiscalização do Executivo, em favor de Oziel. Ele mesmo vai se fiscalizar e não precisa prestar contas a ninguém, se de repente pegar verbas do esporte e aplicar entre os cabos eleitorais do Gabinete, como já está fazendo.

Salvem, salvem, os nossos vereadores!