Skip to content

ENQUETES DE O EXPRESSO

27/04/2017

                        

 *Apenas um voto por IP.

 * Esta enquete se encerra no dia 30/04

25/04/2017

728x90_R12_central (2)

291535

Não adianta tentar: mais barato é na rede de supermercados Marabá

29/04/2017

Fazendinha à venda no Tocantins, próximo a Luís Eduardo Magalhães

29/04/2017

faz-0

faz-01

Vende-se fazendinha de 39 hectares, com 20 hectares prontos para plantio ou formar pasto. Toda cercada com arame liso e divisão de pasto. Oitocentos metros de frente para estrada vicinal.

Muita água, veredas nascendo dentro da propriedade, energia, pequena casa (48 m²) para caseiro, a 4 quilômetros do centro de Taguatinga-TO. Sinal de todas as operadoras de celular.

Geo-referenciada e com escritura pública.

A apenas 20 km da Cachoeira do Registro e do Rio Azuis. Aceito imóvel residencial de boa qualidade construtiva em parte da permuta. Avaliada em R$390 mil. 63-99914-9014 e 77-99992-7355

 

No melhor ponto da cidade, duas lojas de primeira

29/04/2017

modica

Duas salas comerciais com 405 m², para locação,  no melhor ponto do centro da cidade, junto aos bancos Santander e Bradesco. Contate pelos telefones 77-3628-2292 e 77-9959-9899

Dia 12 de maio iniciam MBAs da Fundação Getúlio Vargas na FAAFH

29/04/2017

Agricultores fecham conciliação em ação possessória e garantem posse das terras em questão fundiária na Bahia

28/04/2017


Os agricultores ligados à Associação dos Agricultores da Chapada das Mangabeiras (Aprochama) fecharam nesta quinta-feira (27) uma conciliação em ação possessória garantindo a estabilidade na colheita e a pacificação da questão fundiária na área com a suspensão da liminar de reintegração de posse de aproximadamente 340 mil hectares – sendo cerca de 241 mil hectares em produção agrícola – das regiões da Aprochama, Coaceral, Novo Horizonte e Sul Colonização, no município de Formosa do Rio Preto (BA).

Presidido pelo coordenador do Centro Consensual de Conflitos Possessórios do Oeste da Bahia, ligado ao Tribunal de Justiça da Bahia, Dr. Márcio Braga, o ato conciliatório realizado em Formosa do Rio Preto foi intermediado pelos representantes da Corregedoria de Justiça das Comarcas do Interior da Bahia, Assembleia Legislativa da Bahia, – com a participação e mediação direta do presidente, Ângelo Coronel -, Prefeitura e Câmara de Vereadores de Formosa do Rio Preto. O ato conciliatório visa tranquilizar os agricultores do oeste da Bahia que deverão permanecer plantando e colhendo na área, cujas terras compraram há cerca  30 anos de boa fé com registro no Cartório de Imóveis de Formosa do Rio Preto.

Leia mais…

Deputado Eduardo Salles diz que a Prefeitura esvaziou o RETRAN

28/04/2017

O deputado estadual e  presidente da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa, Eduardo Salles, distribuiu, hoje, nota à imprensa, explicando a situação do RETRAN de Luís Eduardo Magalhães:

Em função de ter uma história de vida profissional e pessoal ligada ao município de Luís Eduardo Magalhães, encaminho à população esta nota esclarecendo aos moradores sobre as notícias veiculadas nos meios de comunicação em relação às dificuldades de atendimento no RETRAN local.

Durante a gestão do ex-prefeito Humberto Santa Cruz, o cargo de coordenador do referido órgão poderia ter sido indicado por mim, já que fui o deputado estadual da base do governo com maior votação no município. Minha votação em Luís Eduardo Magalhães reflete o meu trabalho pela agricultura, pois foi este setor, majoritariamente, quem depositou em mim a confiança de representá-los na Assembleia Legislativa.

Minha excelente relação com o ex-prefeito Humberto Santa Cruz e o deputado estadual Antônio Henrique Júnior fez com que eu cedesse ao parlamentar a prerrogativa da indicação ao cargo de coordenador do RETRAN.

O ex-prefeito, naquela altura, para que a população do município fosse atendida com presteza pelo referido órgão, firmou parceria com o Governo do Estado e disponibilizou 12 funcionários da Prefeitura e duas salas para que o RETRAN funcionasse com capacidade máxima de atendimento.

Finalizado a gestão do ex-prefeito, fiz a indicação de uma profissional dedicada e competente para assumir essa coordenação, a senhora Daiana Bastos Pires, esposa do agricultor Renato Faedo. Ela, infelizmente, já se deparou com um quadro totalmente diferente. A nova gestão municipal só deixou dois dos 12 funcionários anteriormente cedidos, número insuficiente para o atendimento.

Daiana, juntamente com os dois funcionários cedidos pela prefeitura e um funcionário do estado, mesmo trabalhando em turnos avançados, foram obrigados a reduzir o atendimento em aproximadamente 50%. Nesta semana, infelizmente, os últimos dois funcionários cedidos pela Prefeitura foram retirados das suas atividades na RETRAN.

Em função deste fato, o atendimento, que já era limitado, agora provavelmente será reduzido a apenas 10% da média do ano anterior.

Há algumas semanas, quando pude conversar sobre esse assunto com o atual gestor, Oziel Oliveira, com quem tenho uma boa relação pessoal, ele me alegou dificuldades financeiras do município para continuar cedendo os funcionários. Ele acredita que o governo deveria fazer essas contratações e pagar o aluguel das duas salas onde funciona a RETRAN.

Ontem me reuni com o diretor-geral do DETRAN, Lúcio Gomes, o diretor de habilitação, Mário Galrão e a coordenadora Daiana Pires para relatar os fatos e solicitar o apoio para o envio, pelo estado, dos 12 funcionários necessários à retomada do nível de atendimento do ano anterior.

Lúcio Gomes alegou que infelizmente não tem orçamento previsto no momento para as contratações em função de existir a parceria firmada anteriormente com o município, que teria, como contrapartida, a cessão dos funcionários por parte da Prefeitura.

O diretor-geral do DETRAN informou que sem a ajuda da Prefeitura existem duas possibilidades: fechar a RETRAN ou continuar atendendo de forma limitada.

Lúcio ficou de entrar em contato com o prefeito com o objetivo de tentar sensibilizá-lo da importância desse serviço que tem sido ofertado para a comunidade e o prejuízo social que seria o fechamento ou limitação a 10% da sua capacidade.

Tentarei conversar com o governador Rui Costa, o vice-governador João Leão e os deputados Cacá Leão e Antônio Henrique Júnior sobre a possibilidade de designar uma equipe de funcionários do estado que possam auxiliar a equipe da RETRAN em Luís Eduardo Magalhães para minimizar os efeitos dos problemas causados à população.

 

Clima de otimismo entre agricultores marca lançamento da Bahia Farm Show 2017

28/04/2017

Feira espera superar a comercialização de R$ 1,014 bilhão, focada na busca por inovação e tecnologia, pelos agricultores do Matopiba

A praticamente um mês do seu início, a 13ª edição da Bahia Farm Show 2017 foi lançada, nesta quinta-feira (27), em Luís Eduardo Magalhães, sede do evento, e foi marcada pelo otimismo dos agricultores baianos com a produtividade da safra 2016/2017. Consolidada como a maior feira em tecnologia agrícola e negócios do Norte e Nordeste do Brasil, a Bahia Farm Show vai oferecer para pequenos, médios e grandes agricultores do Matopiba (área agrícola localizada na divisa dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), as principais inovações tecnológicas em maquinário, insumos, sementes e softwares, com juros reduzidos e crédito facilitado.

Ao apresentar as novidades durante o lançamento para a imprensa nacional e regional, o presidente da Bahia Farm Show e da Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Celestino Zanella, se mostrou confiante no sucesso de comercialização e vendas desta edição da Feira. “Nosso desejo é sempre crescer e com a expectativa desta safra, que deve se confirmar, esperamos uma projeção de 10% em relação ao ano passado”, compara, ao mencionar a comercialização de R$ 1,014 bilhão da última edição do evento. Embora seja um grande evento, Zanella reforça que a Feira cresceu para atender a demanda e o perfil de todos os produtores rurais. “Não há diferenciação, agricultor é sempre agricultor e todos precisam de tecnologia. O que muda somente é a escala de produção. E os expositores trazem soluções para todos, pequenos ou grandes”, explica.

Para Júlio Cezar Busato, que presidiu as últimas quatro edições da Bahia Farm, e hoje ocupa a presidência da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), nem mesmo a crise econômica e a estiagem que prejudicou a safra passada na região tirou ânimo e o sucesso do evento. “São nestes momentos que temos que mostrar a nossa força. Com o apoio dos bancos e das instituições financeiras, que diante da conjuntura trouxeram mais créditos e com juros facilitados; dos expositores e fabricantes, que não deixaram de apresentar e vender os seus produtos; e, principalmente, dos agricultores, que continuaram investindo em tecnologia e no seu trabalho, mantivemos a Feira do bilhão, e hoje o resultado está focado nesta safra que promete ser boa e, assim, trazer bons negócios para aqueles que continuaram investindo”, afirmou.

Leia mais…