Pular para o conteúdo

Bolsonaro faturou R$84 mil em dezembro na Câmara dos Deputados

16/01/2019

Posse com a bufunfa no bolso. Esqueça o Queiroz.

O então deputado Bolsonaro recebeu R$ 33,7 mil de auxílio-mudança da Câmara três dias antes da posse.

Mesmo sem ir à Casa, o então deputado embolsou R$ 84 mil em dezembro, mais as verbas indenizatórias de praxe.

O fato mais estranho é que o Presidente Eleito já estava ocupando a residência oficial da Granja do Torto e fazendo reformas no Palácio Alvorada, sua residência, queira Deus, pelos próximos quatro anos.

É legal? É. Mas imoral. O senador Randolfe Rodrigues devolveu à Mesa Diretora do Senado a famigerada verba de mudança.

Alvos da Justiça serão beneficiados com renovação automática prevista no decreto

16/01/2019

Com o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro nessa terça-feira (15), todos os brasileiros que hoje possuem armas legalizadas tiveram o seu registro renovado automaticamente pelos próximos dez anos (o prazo para renovação era de cinco anos).

Na prática, a mudança favorece os proprietários de armas que poderiam ter a renovação do registro negada porque, no momento do pedido, respondem a inquérito ou processo criminal ou têm condenação na Justiça, alertam especialistas no assunto ouvidos pelo Congresso em Foco.

O Estatuto do Desarmamento proíbe o registro para quem se enquadra em ao menos uma dessas situações. A legislação, porém, não cassa o direito de propriedade da arma a quem vira alvo de processo ou condenação após a expedição do registro – regra mantida pelo decreto presidencial.

Estatísticas macabras do acesso às armas pela população

16/01/2019

Por ano nos EUA se mata, por acidente doméstico, 1.300 crianças e outras 6.000 ficam feridas.

Uma verdadeira guerra contra as crianças.

Mas esse não é o mal maior, se existe uma escala para desgraças cometidas com armas. Feminicídio, agressões na família, agressões entre vizinhos, agressões no trânsito, confrontos com policiais e disseminação no meio do crime organizado.

Se o cidadão comum tem acesso às armas, o bandido tem duplo lucro na hora do assalto: leva o dinheiro, os cartões, o celular e a arma.

Não aconteceu com o nosso então deputado Jair Bolsonaro, que ficou sem a moto e a pistola durante um assalto?

As grandes beneficiadas são as empresas que fabricam armas e costumam – o Brasil não é exceção – financiar campanhas eleitorais.

Governo da Bahia implantará 200 salas para o tratamento de pé diabético nos municípios

16/01/2019

sala_pe_diabetico (1)

Foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (16), uma portaria da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) que define os critérios para a implantação de 200 salas para o tratamento do pé diabético e feridas complexas em todo o estado. O objetivo é reduzir o número de amputações decorrentes da falta de controle do diabetes, que entre 2010 e 2018, ocasionou mais de 6 mil amputações.

De acordo com o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, as amputações decorrentes de complicações do pé diabético constituem um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, levando em conta as elevadas taxas de internação hospitalar. “Além do impacto social na vida do usuário e da alta mortalidade associada, as amputações estão relacionadas a altos custos diretos e indiretos para o sistema de saúde. Dados do Sistema de Pactuação dos Indicadores (Sispacto) apontam que 25% das internações de pacientes de Salvador, por exemplo, poderiam ser prevenidas por serem condições sensíveis à Atenção Básica. Sem o adequado acompanhamento, o paciente diabético não realiza exames, não toma os medicamentos e acaba por ir a uma emergência de um hospital com o pé infectado que levará, possivelmente, à amputação de um dos membros”, afirma Vilas-Boas.

A portaria prevê que cada município poderá implantar uma Sala de Pé Diabético de referência municipal, a qual competirá, realizar a gestão do leito de feridas; realizar a inspeção sistemática dos pés; orientar os métodos de descarga e uso de palmilha; realizar o desbastamento de calosidades e realizar pesquisa de pulso periférico.

Já à Sesab competirá a disponibilização de equipamentos específicos para diagnóstico do pé diabético e complicações vasculares (Kit para sala de Pé Diabético); a qualificação dos técnicos de enfermagem em podologia; a capacitação da equipe que atuará nas Policlínicas como referência para as Salas de Pé Diabéticos; a realização de teleconsultoria, com inclusão de imagens e exames, para auxiliar a conduta dos profissionais; a realização de webpalestras relacionadas ao tema; a articulação com as Secretarias Municipais de Saúde para implantação dos pontos de atenção e fluxos de referenciamentos; e a coordenação do processo regulatório inter-regional.

ADESÃO

Poderão implantar a Sala de Pé Diabético os 200 primeiros municípios que enviarem o Termo de Adesão, contido na Portaria, devidamente preenchido com os dados solicitados. Os municípios devem encaminhar o Termo de Adesão para o endereço eletrônicodab.assessoria@saude.ba.gov.br, até 60 (sessenta) dias da data da publicação da portaria. A lista de municípios contemplados será publicada no site da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia no prazo de cinco dias após o término do prazo de adesão dos municípios. Ainda de acordo com a portaria, serão priorizados os municípios com população superior a 20 mil habitantes.

Embora as estatísticas sobre as amputações de membros inferiores em diabéticos sejam preocupantes, dados do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba) revelam que um bom programa de prevenção é capaz de reduzir as amputações em até 85%, e que ações preventivas devem ser difundidas entre a população no nível assistencial mais próximo, que é a Atenção Básica.

Comece o ano com mais economia. Vem pro Marabá

16/01/2019

15/01/2019

mara 1

mara 2

Ônus Longneck comete mais uma das suas impropriedades

15/01/2019

Ônus, o viajante!

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, comparou nesta terça-feira (17) o risco para uma criança de alguém manter uma arma de fogo em casa ao risco de a mesma criança se acidentar com um liquidificador. Segundo o ministro, evitar acidentes é uma questão de “educação” e “orientação”.

Para trabalhar com bases científicas, o “Minister Longneck” deveria informar quantas crianças foram feridas ou mortas por um liquidificador nos últimos 10 anos.

Dados do Tribunal Superior Eleitoral mostram que as doações da indústria armamentista nas eleições de 2014, quando as empresas ainda podiam financiar campanhas eleitorais, chegaram a cerca de R$ 2 milhões. “De 2006 até 2014, o porquinho do deputado Onyx Lorenzoni foi recheado com mais de meio milhão de reais da indústria armamentista”, aponta o jornalista Gilvandro Filho.(247).