Os termômetros do Mirante de Santana, estação do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) na zona norte de São Paulo, marcaram 5,2°C às 7 horas da manhã desta quinta-feira, 29. A temperatura oficial é a mais baixa registrada na capital paulista em 2021 e supera o recorde anterior, de 6,3°C, aferido no último dia 20. A previsão é que o frio piore nesta sexta-feira, 30.

A cidade também bateu o recorde de menor temperatura mínima média dos últimos cinco anos, com 4,7°C, segundo a Prefeitura. O tempo frio é resultado de uma massa polar que chegou à cidade nesta terça-feira, 27, e atinge as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do País. Na noite de quarta, ao menos 18 municípios do Rio Grande do Sul registraram neve.

No extremo sul de São Paulo, os termômetros da estação de Engenheiro Marsilac marcaram -0,1°C durante a madrugada, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). As estações automáticas do órgão municipal aferiram mínima média de 4,7°C na cidade, o menor registro feito desde 2016.

O abrigo emergêncial criado pelo governo do Estado na Estação Pedro II do Metrô recebeu 50 pessoas na noite desta quarta-feira, 28 © Alex Silva/Estadão O abrigo emergêncial criado pelo governo do Estado na Estação Pedro II do Metrô recebeu 50 pessoas na noite desta quarta-feira, 28

Ao longo do dia, o sol predomina entre poucas nuvens e a temperatura não deve ultrapassar 13°C. Segundo o CGE, não há previsão de chuva e é esperada umidade do ar em torno de 40%.

O frio intenso continua até o final da semana, com a média da temperatura mínima abaixo dos 5°C durante as madrugadas. Na sexta, a cidade deve atingir um novo recorde de frio, com mínima em torno de 3°C. Em regiões periféricas, como Marsilac, valores negativos são esperados.

Abrigo para população de rua

A noite de quarta foi a primeira da força-tarefa de emergência montada pela Prefeitura de São Paulo para acolher a população de rua devido à frente fria. Cinco tendas foram dispostas em pontos estratégicos da capital para distribuição de sopas, cobertores, agasalhos, kits de higiene e atendimento médico. Além disso, mais de 800 novas vagas foram abertas em abrigos.

A Estação Pedro II do Metrô, no centro, também foi usada para”acolhimento emergencial” durante a noite, abrigando 50 pessoas. A iniciativa do governo do Estado funciona até dia 31 de julho e tem capacidade para atender até 400 pessoas. Exclusivamente masculino, o espaço oferece alimentação, água potável, colchões, cobertores e 20 banheiros químicos entre às 20 horas e às 8 horas.

No Belém, bairro da zona leste, o padre Julio Lancellotti, coordenador da Pastoral do Povo de Rua, abriu a Paróquia São Miguel Arcanjo para proteger desabrigados.