Pular para o conteúdo

Polícia prende 6º elemento envolvido no assassinato de Paulo Grendene.

25/07/2021
Do g1.globo.com/bahia
Sexto suspeito de envolvimento na morte de homem que denunciou esquema de grilagem é preso na Bahia — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Sexto suspeito de envolvimento na morte de homem que denunciou esquema de grilagem é preso na Bahia — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Um homem suspeito de envolvimento na morte do empresário Paulo Grendene foi preso na manhã deste domingo (25), na cidade de Barreiras, oeste da Bahia. Ele é o sexto suspeito preso na Operação Bandeirantes, que investiga a morte do agricultor, que aconteceu em junho deste ano.

A Operação foi deflagrada na última quarta-feira (21), e cumpriu onze mandados de busca e apreensão, em três cidades o oeste da Bahia. Além disso, três policiais militares e dois empresários foram presos.

Segundo a Polícia Civil, o homem preso é um empresário e estava foragido. A polícia informou ainda que ele possui informações relevantes sobre a morte de Paulo Grendene, mas não deu maiores detalhes.

O suspeito vai prestar depoimento na sede da 11ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin) em Barreiras, onde vai permanecer custodiado. As diligências referentes a esse caso devem continuar.

A Operação Bandeirantes é um desdobramento da Operação Faroeste, que investiga um esquema de venda de sentenças judiciais e grilagem de terras envolvendo a cúpula do Judiciário na Bahia.

Em junho deste ano, a vítima foi assassinada a tiros em uma emboscada, em Barreiras, após denunciar um esquema de grilagem.

O agricultor passava de carro pelo local quando foi interceptado por dois homens armados e encapuzados. A dupla disparou várias vezes contra a vítima, que morreu na hora.

Em 2020, Paulo denunciou à polícia que suas terras estavam sendo invadidas por pessoas ligadas às organizações criminosas investigadas pela Operação Faroeste.

Paulo Antônio Ribas Grendene foi morto após denunciar esquema de grilagem investigado pela Operação Faroeste — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Paulo Antônio Ribas Grendene foi morto após denunciar esquema de grilagem investigado pela Operação Faroeste — Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Operação Faroeste foi deflagrada no final de 2019 e tinha, inicialmente, o objetivo de investigar a existência de uma organização criminosa formada por magistrados e servidores do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), além de advogados, empresários e intermediários.

Conforme o MPF, a atuação do grupo envolve atuação de comercialização de sentenças judiciais para favorecer grilagem de terras no oeste da Bahia. Nos meses seguintes, porém, outros esquemas foram descobertos e continuam sendo investigados.

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: