Pular para o conteúdo

“Não será obrigatória e ponto final”, diz Bolsonaro sobre vacina chinesa.

19/10/2020

Jair Bolsonaro foi gravado por seguidores nesta segunda (19), afirmando que a vacina desenvolvida pela chinesa Sinovac contra o coronavírus não será obrigatória, ao contrário do que afirmou, para a população de São Paulo, o governador João Doria.

A Coronavac é testada no Brasil pelo Instituto Butantan, de São Paulo, que já firmou convênio bilateral para importar e produzir milhares de doses no Estado.

Há alguns dias, o presidente do instituto, Dimas Covas, afirmou à imprensa que ainda não confirmou junto ao Ministério da Saúde se haverá compras pelo governo federal e distribuição pelo SUS.

Na semana passada, a Folha de S. Paulo também noticiou que o Ministério da Saúde já tem um projeto de programa nacional de vacinação para 2021, que exclui sumariamente, e sem explicações, a Coronavac.

Nesta segunda, Bolsonaro disparou que “tem um governador aí que está se intitulando o médico do Brasil dizendo que ela [a vacina] será obrigatória”. “Repito que não será”. “O meu ministro da Saúde já disse claramente que não será obrigatória esta vacina e ponto final”, afirmou.

Ainda na visão de Bolsonaro, a China, que tem mais de 1 bilhão de habitantes, deveria testar a vacina em massa antes de vender a outros países.

“Tem que ter comprovação científica. O país que está oferecendo esta vacina tem que primeiro vacinar em massa os seus, depois oferecer para outros países”, afirmou o líder de extrema-direita brasileiro.

“Da nossa parte, a vacinação, quando estiver em condições de, depois de aprovada pelo Ministério da Saúde e com comprovação científica e, assim mesmo, ela tem que ser validada pela Anvisa, daí nós ofereceremos ao Brasil, de forma gratuita, obviamente. Mas repito: não será obrigatória”, acrescentou.

Do jornal GGN, de Luís Nassif

Pela primeira vez vejo o Presidente certo, ao menos em um aspecto. Quem quiser se imunizar, tome a vacina. Quem não quiser, que siga se contaminando e eventualmente morrendo.

Agora, por outro lado, politizar também a vacinação é de uma burrice abissal. O que compromete não só o Presidente, como também o Governador de São Paulo, dois espécimes raros dessa tal “nova política”.

Dizem que o coronavírus se estabelece também no cérebro, dificultando ligações cognitivas. A prova pode estar aí, a olhos vistos.

Em tempo: o Ministro da Saúde de Bolsonaro é um general da arma de Intendência, portanto um completo néscio, de sorriso alvar, em termos de política sanitarista.  

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: