Pular para o conteúdo

PF apreende ouro, aeronaves e destrói pistas de garimpo ilegal em reserva biológica.

18/10/2020

A Polícia Federal apreendeu 44 kg de ouro em barras, quatro aeronaves e destruiu uma pista clandestina no garimpo localizado dentro da Reserva Biológica de Maicuru, no norte do estado do Pará, uma área remota perto da divisa com o Amapá.

Os equipamentos, o ouro e as instalações pertenciam a Armando Amâncio da Silva, 76 anos, que está em São Paulo, internado em hospital, para tratamento de um câncer e atualmente infectado pelo vírus Covid-19.

O garimpo Limão, como é conhecido, que busca ouro em imensas galerias sob o solo, operava desde 1980, com anuência das autoridades. A Rebio Maicuru foi criada em 2006.

Amâncio Silva, de origem humilde, enriqueceu no garimpo e sua empresa aérea, Piquiatuba Táxi Aéreo, hoje com 27 aeronaves, é uma das maiores da Amazônia. Só entre 2015 e 2018, a PF identificou a venda de mais de 600 quilos de ouro, com valores próximos a R$70 milhões. A origem do ouro era alocada em garimpos legais.

Operação Papagaio de Ouro

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (15/10), na região de Pontes e Lacerda/MT, a 2ª fase da Operação Papagaio de Ouro. A ação tem o objetivo de desarticular suposta associação criminosa voltada à exploração ilegal de ouro.

A PF apreendeu veículos de luxo e realizou a prisão de um dos dois investigados. Há fortes indícios de que eles, pai e filho, estariam em atividade desde o ano de 2016, extraindo ilegalmente cerca de oito quilos de ouro por mês, utilizando-se de diversas pessoas e de máquinas de grande porte.

As medidas foram determinadas pela 2ª Vara Federal de Cáceres/MT, tendo em vista que os investigados estariam ocultando o patrimônio adquirido ilegalmente. Os policiais apontam que os suspeitos estariam prejudicando as investigações e dificultando a recuperação dos valores obtidos com a prática criminosa.

No curso da investigação, já foram apreendidos diversos veículos, máquinas, imóveis, gados e valores obtidos com a exploração ilegal de ouro. Tais medidas visam descapitalizar a associação criminosa e demonstrar que o crime não compensa.

*O nome da operação é uma referência ao Córrego do Papagaio, local onde a investigação teve início. A Polícia Federal recebeu uma denúncia de que a área estava sendo poluída com os rejeitos do garimpo ilegal.

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: