Pular para o conteúdo

A Seleção Brasileira de 1958 espera o trem em Poços de Caldas.

29/09/2020

Na época não existiam mordomias. A Seleção Brasileira de Futebol, campeão na Suécia em 1958, espera, enquanto rola uma agradável conversa, pelo trem, na estação de Poços de Caldas, onde realizou os preparativos.

Em pé, o grande líder, Nilton Santos, astro do Botafogo. Da esquerda para a direita, sentados, Dino Sani, Gilmar, Bellini, Garrincha, Moacir, Didi, Joel, Mazzola, o formiguinha Zagalo e Pelé.

Vavá substituiria Mazzola no comando do ataque contra a Inglaterra.  E Pelé começaria sua grande coleção de gols “pintura”.

Mazzola ficou na Europa. Foi contratado pelo Milan, por ser oriundi.

No dia 29 de junho de 1958, a seleção brasileira de futebol venceu sua primeira Copa do Mundo, na Suécia. O herói da equipe foi Pelé, então com 17 anos, no começo de sua esplêndida carreira.

O estádio estava lotado para a partida entre o anfitrião e o favorito sul-americano. A grande sensação, no entanto, era Pelé, com 17 anos o jogador mais jovem de todas as Copas. Édson Arantes do Nascimento havia iniciado sua carreira profissional no Santos, com 15 anos de idade, quando seu apelido ainda era Gasolina.

Outro ídolo, Garrincha disse certa vez que “Pelé é um monstro de outro mundo”. Seis gols foram marcados pelo “rei” na Copa da Suécia, inclusive o último nos minutos finais da partida decisiva, que terminou em 5 a 2 para a seleção canarinho.

A final seria disputada no Estádio Råsunda entre Brasil e Suécia em frente a um público de 50.000 pessoas. O Brasil perde o sorteio e joga de azul, pois ambos os times tinham o uniforme nº 1 em amarelo.

Nem o gol sueco que inaugurou o placar aos quatro minutos de jogo abalou a equipe. Didi, o príncipe etíope, certamente uma das peças mais importantes do time brasileiro, pegou a bola e foi calmamente andando com ela debaixo dos braços, lembrando a todos que o Botafogo, base daquela seleção, tinha dado uma goleada na Suécia, de forma que não ia ser a seleção brasileira que ia perder deles.

Resultado: Vavá marca gol logo aos nove minutos e vira o jogo ainda no primeiro tempo numa partida excepcional que, mesmo com a derrota sueca por 5 a 2 em casa, foi aplaudida de pé pela torcida anfitriã, ao saudar como campeões do mundo Pelé, Vavá, Garrincha, Zito, Mazzola, Nilton Santos, Didi, Gilmar, Zagallo, entre outros.

Assim o Brasil sagrava-se pela primeira vez campeão mundial de futebol.

One Comment leave one →
  1. valdneidias@hotmail.com permalink
    30/09/2020 10:45

    Só uma pequena correção, na identificação dos jogadores, nada que desmereça a postagem nesse Brasil de pouca memória. Depois de Moacir, trata-se do alagoano Dida e não Didi.
    Dida por sinal o ídolo do Flamengo que inspirou o Zico.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: