Pular para o conteúdo

The Guardian: 42% das mensagens de Bolsonaro eram falsas.

31/05/2020

Esta matéria foi publicada em 30-10-2019. Não é surpreendente que até hoje, nem a Câmara dos Deputados, nem o Tribunal Superior Eleitoral tenham concluído o devido processo contra as fake news de 2018, que ainda hoje continuam no mesmo nível?

O jornal britânico The Guardian publicou hoje em seu site uma análise que demonstra como a campanha eleitoral de Jair Bolsonaro em 2018 foi beneficiada por uma avalanche de fake news.

O aplicativo, de propriedade do Facebook, é utilizado por mais de 120 milhões de pessoas no Brasil.

O jornal teve acesso ao WhatsApp Monitor, um banco de dados mantido pela Universidade Federal de Minas Gerais, composto por milhares de mensagens compartilhadas diariamente em grupos do aplicativo.

A ferramenta forneceu ao Guardian cerca de doze mil mensagens compartilhadas durante o período eleitoral.

O resultado é estarrecedor: cerca de 42% de todas as mensagens classificadas como favoráveis à direita – conteúdos criados apoiadores de Bolsonaro, por exemplo – eram falsas!

Em comparação, apenas 3% das mensagens com conteúdos de esquerda eram fakes.

Das fake news direitistas, aproximadamente 48% tratavam de supostas fraudes nas urnas eletrônicas. Outros 14% eram ataques diretos a figuras da esquerda – na maior parte das vezes, utilizando xingamentos e apelando a discursos racistas, homofóbicos e sexistas.

O WhatsApp é um dos alvos da CPI das Fake News.

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: