Pular para o conteúdo

A estupefação e o assombro de Madame Almerinda com a Transparência do LEM

27/03/2019

O telefone vermelho da Redação de O Expresso soa com veemência e eu só posso imaginar que Madame Almerinda, política amadora e cafetina de espíritos, está do outro lado da linha. Estou certo.

-Está lá?

Madame Almerinda andou nos últimos meses tendo um romance tórrido com um pintor português que veio dar com os costados em Luís Eduardo Magalhães e adotou muito do sotaque lisboeta.

– Meu caro periodista, gajo das teclas pretas, você viu, ontem, o fiasco ocorrido na Câmara de Vereadores?

-Sim, Madame, respondo com enfado.

-Mas por que o Prefeito ordenou aos seus soldadinhos do legislativo que vetassem o pedido de informações ao Executivo? Qual razão para não querer enviar uma lista de contratados e comissionados?

-Pois Madame, existem mais coisas entre o céu e a terra do que simples urubus e aviões de carreira.

-Não entendo, jornalista! Se os vereadores seriam os maiores interessados em saber quanto o Prefeito gasta com comissionados não contratados, por que votaram contra.

-Ora, Madame, o Prefeito tem razões que a própria razão desconhece. Talvez seja por um apêndice do requerimento que pede a folha ponto dos comissionados.

-Hum. Quer dizer que nem todos os comissionados vão trabalhar todo dia? Quer dizer que alguns podem até estar morando em outros municípios?

-Eu não disse nada disso, Madame. Não me comprometa. Logo agora que o Prefeito anda tão nervoso com essa chuvarada insana, a Senhora resolve levantar hipóteses infundadas.

-Pois é, mas o meu espanto não cessa, caro Periodista.

-Concordo. Mas essas coisas que o natural não explica, o sobrenatural pode explicar. Consulte a sua bola de cristal. Ou ligue direto para o Gabinete do Prefeito.

– Faz tempo que ele não me atende mais, Periodista.

-Console-se, Madame, talvez o Prefeito esteja concentrado para a grande festa dos 19 anos de Luís Eduardo.

-Mas ainda vai ter festa?

-Claro, Madame, cantemos todos: “Terra fértil, mãe generosa, tão abençoado é o teu chão, Luís Eduardo Magalhães, progresso e força da nação.”

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: