Pular para o conteúdo

Polícia de Israel recomenda indiciamento de Netanyahu por corrupção

29/12/2018

Foto Reuters

De Luís Nassif, no jornal GGN e jornal El País, com edição de O Expresso.

O primeiro-ministro rejeita acusação de fraude e suborno por supostamente favorecer a principal empresa de telecomunicações do país

A Polícia de Israel recomendou neste domingo o indiciamento do primeiro-ministro do país, Benjamin Netanyahu, por fraude e suborno. A decisão deverá ser tomada pela Procuradoria-Geral. Netanyahu é suspeito de beneficiar o conglomerado de telecomunicações Bezeq, o que poderia ter gerado milhões de dólares ao grupo, em troca de uma cobertura favorável no site de notícias Walla. Para a esposa do primeiro-ministro, Sara Netanyahu, os investigadores recomendam a acusação de “obstrução” da Justiça.

Entre 2012 e 2017, o primeiro-ministro e seu entorno “interferiram no conteúdo publicado pelo site de notícias ‘Walla’ e tentaram influir na nomeação de pessoas”, explicou a Polícia. O objetivo era a publicação de “fotos e artigos positivos e suprimir o conteúdo crítico contra o primeiro-ministro e sua família”, indica a nota, que resume as conclusões da investigação.

Netanyahu rejeitou as conclusões. “Tenho certeza de que neste caso as autoridades competentes, após terem examinado a questão, chegarão à mesma conclusão: não houve nada porque não há nada”, escreveu o primeiro-ministro numa declaração.

Durante a reunião semanal do Governo neste domingo, os ministros do Likud (direita), o partido de Netanyahu, expressaram seu apoio ao chefe de Governo. “Muito obrigado, mas vocês têm que levar esse assunto mais a sério do que eu”, respondeu ele. Na oposição, o líder dos trabalhistas, Avi Gabbay, pediu a renúncia de Netanyahu.

Em fevereiro, a Polícia recomendou o indiciamento do primeiro-ministro em outros dois casos. No primeiro, suspeita-se de que Netanyahu e alguns membros de sua família tenham recebido até um milhão de shekels (cerca de um milhão de reais), além de charutos, champanhe e joias por parte de pessoas muito ricas em troca de favores financeiros ou pessoais. No segundo caso, os investigadores acreditam que o primeiro-ministro tentou fechar um acordo com o dono do jornal Yediot Aharonot, um dos mais importantes de Israel, para conseguir uma cobertura mais favorável sobre sua gestão.

Um velho adágio popular preconiza: Deus os cria, o Diabo os separa e eles por si só vão se encontrando. Será que o Netanyahu conhece o Queiroz?

3 Comentários leave one →
  1. Zé da Luz permalink
    30/12/2018 11:09

    Dizem que o Netanyahu é amigo íntimo do Palocci.

  2. Zé da Luz permalink
    30/12/2018 15:01

    Dizem que o Netanyahu é íntimo amigo do Palocci.

  3. Lobo permalink
    30/12/2018 18:38

    Bom. Ouvir dizer que Netanyahu assistirá a posse do mito ou mico. Será que o Mico só se incomoda com os corruptos nacionais e que não sejam da própria família?

    PS – Os Bolsominions e seus bandidos de estimação. Já estão sofrendo para justificar as patifarias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: