Pular para o conteúdo

Até agronegócio tem dúvidas sobre união entre ministérios da Agricultura e Meio Ambiente.

22/10/2018

A matéria é da página Soja Brasil no portal do Canal Rural, editada por O Expresso.

Enquanto entidades do setor agrícola defendem que fusão pode beneficiar o produtor rural, há quem afirme que medida prejudicaria negociações com Europa e Ásia

Algumas declarações do candidato à Presidência do Brasil Jair Bolsonaro sobre uma possível união entre os ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente trouxeram à tona um antigo debate sobre as exigências mundiais de preservação ambiental. Para alguns integrantes do setor agrícola, o país deve priorizar suas necessidades, mesmo que isso signifique perder mercados importantes como o europeu.

Há muito tempo se fala sobre o impacto da agricultura sobre as matas preservadas da Amazônia. Para diminuir essa visão negativa sobre o setor e abrir novos mercados, foi criada a moratória da soja, um pacto ambiental selado em 2006 entre entidades que representam os produtores, ambientalistas e o governo brasileiro.

“Nada é mais fácil na vida do que arruinar uma imagem. E, feito isso, é difícil reverter”.

A frase dita pelo ex-ministro do Meio Ambiente e da Fazenda Rubens Ricupero, resume a preocupação sobre não só a união entre os ministérios, como também da intenção do setor da soja em acabar com a moratória.

“Concorrentes irão usar esse fato contra nós. Sem falar nos países protecionistas espalhados pela União Europeia e Ásia, que podem usar esse argumento contra o Brasil para não comprar mais daqui”, diz Ricupero.

Segundo ele, o agronegócio será prejudicado com essas medidas, pois há uma percepção que a visão do setor produtivo irá prevalecer. “Não sou contra o agronegócio, mas acho que o setor inteligente é o que procura essa sustentabilidade ambiental para assim conquistar mais mercados. O efeito negativo já começa a aparecer, já estou recebendo mensagens de ambientalistas do mundo todo alarmados com essa possibilidade”, diz.

Como se dizia antigamente, a pretensão de Bolsonaro é amarrar cachorro com linguiça. Mas isso não é bom nem para a linguiça, como para o cachorro e para o dono do cachorro.

 

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: