Pular para o conteúdo

Santa Maria: município gaúcho tem maior surto de toxoplasmose do mundo

29/06/2018

Da Agência Senado

O município gaúcho de Santa Maria está enfrentando um grande surto de toxoplasmose e precisa de ajuda do governo federal na definição de protocolos para atender, identificar e tratar doentes, para garantir os medicamentos adequados e para as campanhas de conscientização contra a doença. O apelo foi feito durante audiência pública da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) que debateu o tema nesta quinta-feira (28).

“É o maior surto do mundo, com consequências em longo prazo”, alertou a procuradora da República, Tatiana Dornelles.

De março deste ano, quando se detectou o início da contaminação, até a semana passada, quando foi divulgado o último boletim epidemiológico, 569 doentes tiveram a confirmação e há outros 312 casos em investigação. O maior surto até então era o do Paraná, em 2001, com cerca de 420 doentes. E nem mesmo os medicamentos básicos para o tratamento foram enviados pelo Ministério, destacou.

Ainda não se identificou a fonte da doença, o que torna a contaminação pela água e por alimentos a hipótese mais provável. Sem essa correta identificação, não é possível cessar o ciclo, o que torna mais importante a atuação do Executivo nacional.

“A situação de Santa Maria serve de modelo e oportunidade para que o Ministério da Saúde estabeleça um protocolo para a doença, amplo, que diga respeito desde a prevenção aos insumos diagnósticos, e à disponibilização de medicamentos. Porque, a partir do protocolo, há uma exigência de provimento desses insumos, algo que não temos visto com naturalidade e rotina”, explicou Alexandre Schwarzbold, médico infectologista do Hospital Universitário de Santa Maria.

Protocolo

Métodos de atendimento, rotinas de tratamento e fluxos, como a repetição de exames, foram soluções locais, pensadas e estruturadas com a colaboração dos gestores do município, mas há risco de não se conseguir manter os atendimentos por falta de recursos e apoio.

“Somos e fomos muito eficientes no manejo do surto, mas precisamos consolidar essa eficiência, não podemos ser eficientes sozinhos, precisamos de retaguarda para permanência dessa eficiência. Fica o pedido para que saia tudo do papel”, disse Paula Martinez, médica infectologista.

Gestantes

O que vem deixando os gestores e a comunidade médica especialmente preocupados é a contaminação das gestantes, já que a toxoplasmose passa para o feto e quase sempre leva à morte ou causa efeitos permanentes aos bebês, como danos neurológicos e cegueira.

Já são 50 gestantes confirmadas, 145 casos em investigação e cinco abortos contabilizados, e não há na cidade centros especializados para atender adequadamente aos bebês que nascerão com deficiência. Nem mesmo o Hospital Universitário da cidade é reconhecido como especializado e de alta complexidade, o que dificulta a destinação de mais recursos, destacou a procuradora da República, Lara Caro.

Controle ambiental

Os debatedores ressaltaram a importância de ações de controle ambiental para conter a doença e evitar contaminação. Ações de higiene e limpeza, como fervura de água para eliminar os oocistos esporulados, que contêm os protozoários causadores da toxoplasmose, são básicas e precisam ser divulgadas para a população, mas até mesmo para isso faltam recursos. É preciso conscientização para ações simples como a limpeza de caixas d’água, para eliminar o lodo onde o causador da doença pode sobreviver.

“A população tem que se engajar nisso. Não da para esperar que só o município, o governo, a União, os entes (públicos) façam a sua parte. A população também precisa fazer a dela”, disse Rossana Schuch, procuradora geral de Santa Maria.

A toxoplasmose não atinge somente as camadas mais carentes da população. São mulheres com ensino superior as mais infectadas, justamente as que consomem mais água e se alimentam de verduras e legumes, ou seja, quem tem mais informação e busca hábitos saudáveis, disse Jane Costa, médica infectologista.

Ela também frisou a necessidade de controle da população de felinos, já que é no intestino dos gatos que o ciclo de desenvolvimento do protozoário se completa. “Mas não adianta matar o gato, é preciso cuidar do meio ambiente”, afirmou.

Demandas

Uma lista de demandas foi entregue pelo senador Paulo Paim (PT), que presidiu a audiência pública, ao representante do Ministério da Saúde, Osnei Okumoto, secretário de Vigilância em Saúde.

Foram feitos pedidos como a adoção de um protocolo nacional de diretrizes terapêuticas em casos de epidemia de toxoplasmose; reforço da verba para o hospital universitário que atende as gestantes com toxoplasmose e as crianças com a doença congênita; diretrizes para exame mensal da doença no acompanhamento pré-natal e a detecção da toxoplasmose no teste do pezinho fazem parte da lista, além da promoção de uma política de prevenção da doença nacionalmente.

“Fico com o compromisso de repassar e fazer reuniões com os demais secretários do ministério. Gosto de dar resposta para tudo que me pedem, isso vai ficar na lista e todo dia vamos ticando nossas solicitações, obrigações e compromissos, e ficamos nesse dever de dar andamento a todas essas solicitações”, afirmou Okumoto.

Sintomas e tratamento

Os sintomas incluem dor muscular, febre e dor de cabeça, que podem durar semanas.

As pessoas podem ter:

Dores locais: nos músculos

No corpo: fadiga ou febre

Também é comum: dor de cabeça, gânglios cervicais aumentados ou inchaço dos gânglios.

Nas grávidas contaminadas, ocorre aborto nos primeiros meses da gravidez.

Cerca de 90% das pessoas que contraem a toxoplasmose não manifestam nenhum sintoma. Os outros 10% podem apresentar aumento de gânglios, febre, dor muscular e de cabeça (podendo durar semanas).

Medicamentos: Antiparasitário e Antibiótico

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: