Pular para o conteúdo

Villas Bôas diz que droga é a maior ameaça à soberania nacional

23/03/2018

O general Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército, afirmou em entrevista ao programa do jornalista Roberto D’Ávila, na GloboNews, que vê no crime organizado a “maior ameaça à soberania nacional”. Ele disse ainda que o tráfico de drogas está na base da violência no país e que a integração entre os estados é “fundamental” no combate ao crime.

Villas Bôas está à frente do Exército desde 2015. Com a intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro e a utilização de homens das Forças Armadas na segurança do estado, o general passou a figurar com mais frequência no noticiário e a ocupar um espaço central no debate sobre criminalidade e violência.

Na entrevista, ele foi questionado por Roberto D’Ávila se o crime organizado era uma das grandes preocupações para o país.

“Acredito que vem daí a maior ameaça à soberania nacional”, respondeu Villas Bôas.

“A questão do crime organizado, e tendo a droga como pano de fundo, como base para o que está acontecendo, tanto do ponto de vista da deterioração de valores – uma verdadeira metástese silenciosa que está corroendo a nossa juventude – , quanto como causador da violência. A Polícia Federal estima que aproximadamente 80% da violência urbana esteja ligada direta ou indiretamente à questão da droga”, completou o general.

Villas Bôas afirmou que o crime organizado hoje é “transnacional”, o que exige, segundo ele, uma abordagem “ampla e sistêmica” nas políticas de segurança.

“A integração no combate ao crime organizado é fundamental. Porque o crime se transnacionalizou. E nós temos as nossas estruturas contidas nos espaços dos estados da federação. Nós temos que ir além, tem que haver uma integração no âmbito nacional, não só a integração geográfica, mas integração dos setores de atuação, como também tem que haver uma integração internacional também”, disse.

Questionado se era favorável a uma discussão sobre legalização de algumas drogas, o general respondeu que esse é um “debate fundamental”, porque a situação não se resolverá com soluções “simplistas”.

“Isso tem que ser tratado de forma científica, com abordagem bastante ampla, porque são vários os aspectos a serem contemplados. Tem o aspecto da segurança, mas sobretudo tem o aspecto, a questão da educação, a questão da saúde, a prevenção, enfim, várias questões”, disse Villas Bôas. Veja mais no g1.globo.com.

É numa hora dessas que a direita bolsonete começa a chamar o General de comunista, de esquerdopata e outros adereços.

O General está certo: o que falta é educação e muita leitura, uma escola de boa qualidade, um dentista em cada escola e, principalmente, oportunidade de trabalho para a juventude. 

One Comment leave one →
  1. Lobo permalink
    25/03/2018 1:41

    Ihhhh! O Comandante do Exército falou que é importante se começar a discutir o tema legalização das drogas. Uma hora dessas a turma de poucos neurônios que gostam de bater em mulheres e fechar estradas deve está fritando aqueles dois neurônios que restam. O general percebeu que o tráfico alimenta o crime e não a droga, assim como descobriu os EUAs dos anos 30 em relação as bebidas.
    Vício é problema de saúde pública, tráfico é problema de polícia. Que tal economizar o dinheiro que vai para o lixo com a guerra perdida contra o tráfico e concentrar recursos para tratar os viciados. Será que alguém ainda acha que o fato de ser proibida evita alguém que queira usar qualquer uma delas de fazer isso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: