Pular para o conteúdo

13 de janeiro, um dia muito agitado na história

13/01/2018

Hoje, sábado,13, os gatos pretos cruzam as encruzilhadas, anunciando mau agouro e má sorte. No Brasil, como nada mais existe para ser desconsertado e esculhambado, é um dia normal, inclusive em Luís Eduardo Magalhães, antiga e orgulhosa “Capital do Agronegócio”, hoje conhecida como Capital do Quebra-Molas e do Buraco.

13 de janeiro de 1750 – Feito o Tratado de Madrid/Madri, documento que definiu o território da colônia brasileira.

O Tratado de Madrid foi firmado na capital espanhola entre D. João V de Portugal e D. Fernando VI de Espanha, a 13 de Janeiro de 1750, para definir os limites entre as respectivas colônias sul-americanas, pondo fim assim às disputas. O objetivo do tratado era substituir o de Tordesilhas, o qual já não era mais respeitado na prática. As negociações basearam-se no chamado Mapa das Cortes, privilegiando a utilização de rios e montanhas para demarcação dos limites. O diploma consagrou o princípio do direito privado romano douti possidetis, ita possideatis (quem possui de fato, deve possuir de direito), delineando os contornos aproximados do Brasil de hoje.

13 de janeiro de 1898. O escritor francês Émile Zola publicou uma carta com o título J’Accuse, em que acusava o governo de francês de encobrir a verdade no caso Dreyfus. O capitão Alfred Dreyfus, de origem judaica,  tinha sido acusado de espionagem a favor da Alemanha, condenado e deportado para a Guiana Francesa. Devido à carta que provocou a reabertura do processo, Dreyfus foi ilibado e reintegrado no exército francês.

13 de janeiro de  1935. A população da região do Saar, entre a França e a Alemanha, votou pela incorporação no reich Alemão governado pelo Partido nazi de Hitler. O território estava sob controle da França desde o fim da Primeira Guerra Mundial.

 

 

 

 

13 de janeiro de 1948 – Gandhi inicia um jejum em protesto contra as violências cometidas por indianos e paquistaneses.

13 de janeiro de 2009 – Abbas acusa Israel de querer ‘aniquilar’ o povo palestino de Gaza. O presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, acusou Israel nesta terça-feira de querer “aniquilar” o povo palestino na Faixa de Gaza ao se negar a deter a ofensiva militar nesse território, que dura 18 dias.

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: