Skip to content

Identificado o avião da cocaína interceptado pela FAB

26/06/2017

Na nota desta segunda, a FAB destacou que as informações sobre o local da decolagem da aeronave haviam sido fornecidas “pelo próprio piloto durante a aplicação das medidas de policiamento do espaço aéreo”.

“A confirmação do local exato da decolagem fará parte da investigação conduzida pela autoridade policial”, diz trecho do novo comunicado.

Na primeira versão da nota, a Força Aérea relatou que, às 13h17 deste domingo, o piloto de defesa aérea do A-29 Super Tucano identificou a aeronave suspeita e, seguindo o protocolo de policiamento aéreo, fez perguntas, por meio do radio, ao piloto do avião bimotor.

Na sequência, disse a FAB, o militar determinou que o piloto do bimotor mudasse de rota e pousasse no aeródromo de Aragarças, em Goiás.

Inicialmente, diz trecho da nota, o piloto da aeronave demonstrou que iria cumprir a ordem do militar, porém, na hora de pousar ele arremeteu e não respondeu mais às advertência da defesa aérea.

Seguindo o protocolo, o piloto da FAB deu um tiro de aviso que, conforme a Aeronáutica, é uma medida de persuasão para forçar o piloto da aeronave “considerada hostil” a cumprir as determinações da defesa aérea.

A Força Aérea disse no comunicado que, mesmo com o tiro de aviso, o avião interceptado não voltou a responder aos contatos do militar e pousou na zona rural do município de Jussara, no interior de Goiás.

Um helicóptero da Polícia Militar goiana foi acionado para fazer buscas no local do pouso. De acordo com a FAB, o bimotor será removido para o quartel da PM em Jussara. Já a droga apreendida, ressaltou a Aeronáutica, será encaminhada para a superintendência da Polícia Federal, em Goiânia.

Segundo o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica, a ação que interceptou o avião faz parte da Operação Ostium, que tem o objetivo de coibir ilícitos transfronteiriços. Além da FAB, atuam nesta operação a Polícia Federal e órgãos de segurança pública. Com informe do g1.globo.com

Após a conferência da mercadoria apreendida, chegou-se ao peso total de 653 kg, bem mais do que se tinha anunciado pela manhã, com valor ultrapassando R$21 milhões, em valores pagos pelo consumidor final, sem considerar que a pasta base de cocaína é multiplicada por três ou quatro vezes nas mãos dos traficantes para venda no varejo.

Um Sêneca II em bom estado de conservação vale em torno de US$185.000. 

2 Comentários leave one →
  1. jose de oliveira permalink
    27/06/2017 15:47

    A nova versão agora é que o avião voava direto da Bolívia para Goiás sem pousar em Mato Grosso. Esta versão teria por objetivo “aliviar” a situação do Ministro Caldo Maggi, já bastante desgastado na Operação Carne Fraca. Já existe um precedente: O Helicoca apreendido no Espirito Santo em Novembro de 2013 que pertenceria ao Perrela e cuja mercadoria pertenceria ao Aécio, o mineirinho de Ouro das praias cariocas.

  2. jose de oliveira permalink
    27/06/2017 15:57

    Depois que descobriram de quem seria o avião e a mercadoria, até pessoas disponíveis a serem presas foram ofertadas. Os Manés foram pagos para ficarem esperando a PF na cidade de Itapirapuã a uns 30 km do local do pouso forçado da aeronave

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: