Skip to content

Haja verniz para tanta cara de pau

24/05/2017

Foto de Wilton Junior, do Estadão Conteúdo, para Veja: Aécio em seu refúgio.

Aécio afirma que estava sem dinheiro e caiu em armação de Joesley. É manchete da Veja.

Em vídeo, tucano diz que tinha de pagar advogados, mas não tinha recursos pois não acumulou patrimônio na vida pública; ideia, alega, era vender apartamento.

No meu caso particular, também estou com caixa zero. Só não aparece um empresário poderoso para armar uma cilada.

Ato conexo, a Justiça divulgou diálogo do jornalista Reinaldo Azevedo com Andreia Neves, grampeada antes da prisão da irmã de Aécio, falando mal da revista Veja, onde tinha um blog.

A saia justa foi tão apertada que o blogueiro pediu de demissão. Azevedo vinha criticando com veemência os métodos do juiz Sérgio Fernando Moro. Deveria estar grampeado também.

Olha o último post de Reinaldo na Veja:

“Pedi demissão da VEJA. Na verdade, temos um contrato, que está sendo rompido a meu pedido. E a direção da revista concordou.

1: não sou investigado;

2: a transcrição da conversa privada, entre jornalista e sua fonte, não guarda relação com o objeto da investigação;

3: tornar público esse tipo de conversa é só uma maneira de intimidar jornalistas;

4: como Andrea e Aécio são minhas fontes, achei, num primeiro momento, que pudessem fazer isso; depois, pensei que seria de tal sorte absurdo que não aconteceria;

5: mas me ocorreu em seguida: “se estimulam que se grave ilegalmente o presidente, por que não fariam isso com um jornalista que é crítico ao trabalho da patota?”;

6: em qualquer democracia do mundo, a divulgação da conversa de um jornalista com sua fonte seria considerada um escândalo. Por aqui, não;

7: tratem, senhores jornalistas, de só falar bem da Lava Jato, de incensar seus comandantes;

8: Andrea estava grampeada, eu não. A divulgação dessa conversa me tem como foco, não a ela;

9: bem, o blog está fora da VEJA. Se conseguir hospedá-lo em algum outro lugar, vocês ficarão sabendo;

10: o que se tem aí caracteriza um estado policial. Uma garantia constitucional de um indivíduo está sendo agredida por algo que nada tem a ver com a investigação;

11: e também há uma agressão a uma das garantias que tem a profissão. A menos que um crime esteja sendo cometido, o sigilo da conversa de um jornalista com sua fonte é um dos pilares do jornalismo.”

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: