Skip to content

Aprovada por unanimidade proibição da exploração dos gás de xisto em Luís Eduardo Magalhães

10/05/2017

Carlos Koch e Kenni Henke, apoiadores do projeto, ladeiam o autor, Márcio Rogério.

O plenário da Câmara de Vereadores de Luís Eduardo Magalhães aprovou, na noite de ontem, por unanimidade, em primeiro turno, o projeto do vereador Márcio Rogério que veda a concessão de alvará para instalações de prospecção e exploração de gás de xisto através de faturamento hidráulico.

O Município já teve uma instalação da Petrobras destinada à prospecção do gás. Na época, o jornal O Expresso fez uma grande campanha contra a atividade, que já foi proibida em quase todo o País, pela Justiça Federal, por motivo dos graves danos causados ao meio-ambiente.

Em relação à Região Oeste da Bahia, a preocupação com os riscos ambientais da exploração fica ainda maior, levando-se em conta a preservação do Aquífero Urucuia, o segundo maior do continente e o maior genuinamente brasileiro.

Em 1º de setembro de 2013, advertíamos, em matéria de capa no veículo impresso e também na página da web:

“Exploração do gás de xisto no Oeste baiano pode causar desastre ambiental sem precedentes”. Veja a introdução da matéria:

Se confirmada a ocorrência de gás de xisto na grande área do Aquífero Urucuia e usada técnica norte-americana de extração, poderemos contaminar para sempre a água que bebemos e que usamos para irrigar alimentos. Seremos ricos em petróleo e gás e importaremos água para beber de outros estados. A população das chapadas e, de quase toda a Bahia onde existem reservas de xisto, precisa se engajar nesta luta para obstruir o possível uso da técnica de fratura hidráulica na extração do gás. O poço de prospecção instalado na Fazenda Vitória ( veja a foto abaixo), a apenas 10 km de Luís Eduardo Magalhães, é apenas o início do grande licenciamento que a ANP quer realizar, em outubro, em todo o País.

Veja abaixo alguns dos links de matérias realizadas por O Expresso, que relatam, desde 2013, os perigos da exploração do xisto em nossa região.

One Comment leave one →
  1. Tiago permalink
    10/05/2017 11:25

    Caro Sampaio,

    Esses malditos teclados…..Aonde se lê faturamento hidráulico, o correto não seria fraturamento hidráulico?
    Mas por fim, excelente notícia.
    Abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: