Skip to content

A difícil missão das forças armadas e das forças policiais

15/02/2017
Pelotão de Fronteira

Soldados de Pelotão de Fronteira

O Ministério da Defesa resolveu  suspender, hoje, licitação pública destinada a comprar mesas de sinuca, jogos de dominó e 300 apitos esportivos, num valor pouco superior a R$70 mil, segundo notícia de O Globo.

Nada mais justo para a distração dos guerreiros durante os seus descansos na caserna. No entanto, dentro de uma conjuntura em que as forças armadas encontram sérias dificuldades para controlar as fronteiras e agora estão inseridas, ao menos temporariamente, na segurança de cidades importantes, como Boa Vista, Natal, Vitória e Rio de Janeiro, a contratação de compra de tais artigos parece inoportuna.

O País está em verdadeira guerra civil com o crime organizado. Mais de 60 mil mortes violentas acontecem todo ano. Forças policiais militares, policias civis, guardas metropolitanas parecem estar debilitadas diante da insuficiência de verbas; não existem mais vagas nos presídios; a justiça conta com deficiência de pessoal e uma irritante lentidão.  15.735 km de fronteiras terrestres e mais de 7.000 km de fronteiras marítimas,  exigem especial atenção.

As forças armadas não têm recursos para enfrentar essa multiplicidade de tarefas. Não é hora de pensar em prosaicas mesas de sinuca.

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: