Skip to content

O monstro de Cocos: advogado é preso por estuprar crianças

21/09/2016

Do G1 Bahia

Um advogado foi preso na terça-feira (20) suspeito de estuprar a enteada dele e uma amiga da enteada, ambas com 7 anos de idade, na cidade de Cocos, de acordo com a Polícia Civil.

A delegada de Cocos, Luzmaia Cecília de Souza, diz que o suspeito preferiu usar o direito de se manter calado e não se pronunciou sobre a acusação. O crime começou a ser investigado pela polícia após denúncias das mães das vítimas.

Luzmaia Cecília disse que as mães das vítimas relatam que os abusos ocorreram há cerca de dois meses. “De acordo com a mulher dele, ele ameaçava ela de morte. Quando ela fez a ocorrência, requereu uma medida protetiva para que ele se afastasse da família, o que foi feito”, afirmou.

A polícia cumpriu ainda mandado de busca e apreensão no escritório e na casa dele em Cocos. Não foi encontrada arma, mas foram apreendidos pen drives e computadores do suspeito.

Ainda não há suspeitas de que o advogado teria feito ou reproduzido imagens das crianças. A seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Santa Maria da Vitória foi comunicada do caso, presenciou a voz de prisão e acompanhou o cumprimento dos mandados de busca e apreensão contra o suspeito.

Ele foi localizado na cidade de Coribe e levado para a carceragem de Santa Maria da Vitória, porque as celas da delegacia de Cocos estão interditadas. A polícia cumpriu um mandado de prisão temporária de 30 dias contra o advogado, que pode ser convertido em prisão preventiva até a conclusão da investigação.

Um terço da população brasileira responsabiliza a mulher pelo estupro

Da Agência Brasil

Mais de 33% da população brasileira consideram a vítima culpada pelo estupro. O dado consta de pesquisa feita pela Datafolha, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

Divulgado hoje (21), o levantamento mostra ainda que 42% dos homens e 32% das mulheres entrevistados concordam com a afirmação: “mulheres que se dão ao respeito não são estupradas”, enquanto 63% das mulheres discordam.grafico_estupro_pesquisa.jpg

“O percentual dos que concordam não varia entre homens e mulheres (30%), o que significa que, para um terço dos brasileiros, a mulher que é agredida sexualmente é, de alguma forma, culpada pela agressão sofrida se opta por usar certas peças de roupa”, diz o levantamento.

De acordo com a pesquisa, os graus de concordância variaram mais em função da idade e escolaridade. Os grupos que mais se afastam da média são as pessoas com 60 anos ou mais, com 49% de discordância e, no lado oposto, as pessoas com ensino superior, em que a discordância chegou a 82%.

O levantamento mostra também que 65% da população tem medo de sofrer violência sexual. “O percentual cresce quando desagregamos o dado por sexo, já que 85% das mulheres brasileiras afirmam ter medo ante 46% dos homens”.

Metodologia

A Datafolha fez 3.625 entrevistas com pessoas a partir de 16 anos de idade, em 217 municípios. A coleta de dados foi feita entre os dias 1º e 5 de agosto deste ano. A margem de erro é 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Veja aqui a pesquisa completa

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: