Skip to content

Os pilotos do Rally dos Sertões descansam em LEM para a reta final da competição

07/09/2016
Na chegada, hora de desmontar inteiramente os carros para uma revisão completa.

Na chegada, hora de desmontar inteiramente os carros para uma revisão completa. Por vezes o serviço de manutenção atravessa a noite.

O Rally dos Sertões chegou hoje, no final da tarde, a Luís Eduardo Magalhães, depois de quatro dias de competição. O evento esportivo deste ano tem uma dimensão menor do que foi nos anos anteriores. Mas o recinto da Bahia Farm Show, que abrigou os competidores  atraiu um grande número de pessoas, que foram ver os carros potentes e se arrepiar com o ronco dos motores. Amanhã, muito cedo, os competidores partem para a quinta etapa, que deve alcançar Mateiros, no Tocantins.

Silmar e seu protótipo Sherpa

Silmar e seu protótipo Sherpa

O piloto eduardense  José Silmar Nogueira  e o navegador Alyson Antunes, os representantes mais destacados de Luís Eduardo Magalhães, competem com seu protótipo Sherpa Mitsubishi. Eles tiveram um problema na primeira etapa, ao quebrar uma polia do motor, mas estão em franca recuperação e pretendem chegar perto dos ponteiros nas próximas duas etapas.

Os resultados da longa etapa Posse-Luís Eduardo Magalhães

Os resultados da longa etapa Posse-Luís Eduardo Magalhães

O Sertões acontece até o dia 10, com chegada em Palmas, capital do Tocantins.

Chegar em cima de um caminhão é compromisso com a recuperação do próximo dia.

Chegar em cima de um caminhão é compromisso com a recuperação do próximo dia.

Grandes caminhões servem como depósitos de peças e até de hotel para mecânicos.

Grandes caminhões servem como depósitos de peças e até de hotel para mecânicos.

rally-10

rally-9

Hora da chegada depois de um longo trecho cronometrado e grandes deslocamentos. Certamente a melhor hora do dia

Hora da chegada depois de um longo trecho cronometrado e grandes deslocamentos. Certamente a melhor hora do dia

Guiga Spinelli e Youssef Haddad vencem no Rally dos Sertões

rally-13

Para a Equipe Mitsubishi Ralliart Brasil não tem descanso nem no feriado. No dia que o Rally dos Sertões saiu do Estado de Goiás e entrou na Bahia, a dupla Guilherme Spinelli e Youssef Haddad marcou o melhor tempo e venceu o dia. Com os trechos de alta velocidade, eles chegaram a mais de 190 km/h com o ASX Racing.

“Terminei a especial bem satisfeito, era o que a gente precisava, um dia limpo para o resultado aparecer”, afirma Guiga Spinelli. “Mais do que isso, estamos muito felizes com a evolução do ASX Racing. Já vínhamos percebendo que estávamos competitivos mas, nos três primeiros dias, tivemos situações inusitadas, uma em cada dia, que nos fez cair na classificação. Hoje conseguimos fazer uma especial limpa e o resultado apareceu. Foi bem rápida, média de 120 km/h, e o ASX Racing esteve muito acima da nossa expectativa. Aos poucos fui entendendo o comportamento dele, comecei num ritmo mais cauteloso, até ver como estava o carro. Mas, conforme fui sentindo confiança, fui forçando e acelerando mais”, explica o piloto. A dupla está agora na terceira posição da classificação geral.

O dia teve 560 quilômetros e 361 km de especial teve longas retas em áreas agrícolas com altas velocidades. O piso predominante é a piçarra, mas teve também longos trechos sinuosos e com areia, além de lombas e depressões.

“Foi uma especial muito rápida, com trechos de velocidade máxima que alternavam com depressões, o que é bem perigoso quando se está acima de 180 km/h. O legal é que entramos em regiões de Cerrado, bem arenoso, uma primeira amostra do que vem por aí no Jalapão. O ASX Racing nos surpreendeu em uma característica que estamos trabalhando. Foi muito bom”, destaca Youssef.

Jalapão
Nos próximos dois dias, o Rally dos Sertões percorre o Jalapão. “Será a parte mais crítica do rali”, garante Spinelli. “Lá tem tudo o que há de mais difícil: temperatura ambiente muito alta, piso muito arenoso e pesado, vários trechos muito irregulares, com muitas erosões, saltos, depressões, estradas extremamente sinuosas, rápidas e depois escorregadias, além de ser uma especial muito longa. Ou seja, todas as dificuldades somadas em dois dias de rali. Vamos nos concentrar um dia por vez para vermos o que conseguimos daqui pra frente”, explica o piloto.

O Jalapão é uma região árida pontilhada de oásis e está situada a leste do estado do Tocantins. Possui temperatura média de 30ºC e sua área total é de 34 mil quilômetros quadrados. É cortado por imensa teia de rios, riachos e ribeirões, todos de água límpida e transparente.

08/09 – Etapa 5 – Luís Eduardo Magalhães (BA) / Mateiros (TO)
Deslocamento inicial: 35,47 km
Trecho especial: 425,67 km
Deslocamento final: 00 km
Total do dia: 461,14 km

A partir desta quinta-feira (8), começa a etapa maratona. Serão dois dias em que os competidores não podem ter auxílio de suas equipes de apoio. “Por conta disso, já havíamos programado a troca de uma série de componente, além de uma revisão super completa. Afinal, partimos para quase 1.000 km sem apoio”, explica Youssef.

A especial terá início na Cachoeira do Acaba Vidas, com estradas bem sinuosas, muitas lombas e depressões. A prova prossegue por um longo trecho sinuoso e estreito, com estradas de piçarra e areia, o que exige muita navegação. Na parte final, o ritmo aumenta novamente, com longas retas de alta velocidade, seguindo assim até a chegada em Mateiros

 

A manutenção começa por um bom banho com água e sabão

A manutenção começa por um bom banho com água e sabão

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: