Pular para o conteúdo

A Revista Época não se cansa: “Wagner comprou um sítio equivalente a 14 Maracanãs”.

15/05/2016
O senador Blairo Maggi, duas vezes governador do Mato Grosso, ministro da Agricultura de Temer. Rico, branco, homem influente, Blairo é representante emblemático do novo padrão executivo do PMDB.

O senador Blairo Maggi, duas vezes governador do Mato Grosso, ministro da Agricultura de Temer. Rico, branco, homem influente, Blairo é representante emblemático do novo padrão executivo do PMDB.

A Revista Época não se cansa de bater nos líderes petistas. Agora, descobriu que o ex-governador e ex-ministro Jaques Wagner comprou um sítio de 14 hectares, que compara maldosamente à área do campo de futebol do Estádio Maracanã. Se a Revista queria um assunto relevante em termos de propriedade, poderia vasculhar as áreas do novo ministro da Agricultura, Blairo Maggi, que seguramente possui ativos agrários de área superior a 240 mil campos de futebol (0,7 hec cada cancha).

Somente no Mato Grosso, o grupo administra 252,3 mil hectares de terras para agricultura, pecuária e reflorestamento. São 200,4 mil hectares em 19 fazendas próprias e 51,9 mil hectares arrendados do Grupo Itamarati, do empresário Olacyr de Moraes (falecido recentemente), em Campo Novo do Parecis.

Há cerca de três anos, um primo de Blairo, Eraí Maggi, adquiriu, com cláusula resolutiva, uma área de 100 mil hectares (o equivalente a 142 mil campos de futebol) no Oeste baiano, desistindo depois de plantar um ano porque o negócio foi obstado por entraves jurídicos.

Veja o texto maldoso de Época:

O ex-governador baiano e ex-ministro-chefe do gabinete da Presidência, Jaques Wagner, adquiriu em dezembro do ano passado um sítio com tamanho equivalente a 14 Maracanãs. A propriedade, localizada em Andaraí, na região da Chapada Diamantina, recebeu o nome de “Sítio Felicidade” e custou R$ 538 mil.

O imóvel foi comprado em conjunto com a esposa de Wagner, Maria de Fátima Carneiro Mendonça, e o ex-lobista Guilherme Sodré, o Guiga, amigo de longa data e pai de um enteado do ex-governador. Ainda segundo a revista, o local, antes conhecido como Fazenda Dinamarca, incluía casa com cinco suítes, garagem, piscina e acesso ao Rio Santo Antônio, na Chapada.

Segundo o registro do cartório, os compradores desembolsaram pelo imóvel uma entrada de R$ 398 mil e dividiram o restante em parcelas de R$ 14 mil. Wagner recebia R$ 30 mil como ministro. De acordo com o documento registrado no cartório, o ex-governador e a esposa são proprietários de 76% do sítio – devem pagar por ele cerca de R$ 408 mil -, enquanto a empresa de Guiga detém os outros 24% (cerca de R$ 129 mil).

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: