Pular para o conteúdo

Safra baiana aponta crescimento de 39% e eleva expectativas para 2014

24/04/2014

 ???????????????????????????????Levantamento de safras realizado em março registra ampliação de 2,2% na área plantada, com destaque para soja, milho e algodão

No Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA/IBGE) de março, as estimativas para a safra baiana de 2014 continuam otimistas. A safra de grãos apresenta um crescimento de 39,4%, com uma produção física de 8,5 milhões de toneladas, superando em 2,4 milhões de toneladas a de 2013. A área plantada mostra elevação de 2,2% ante o mesmo período de 2013, sendo que milho e algodão têm as maiores expansões, com 25% e 21,1%, respectivamente. Destaque para o milho, que teve sua safra revisada para cima, chegando agora à produção física estimada de 3,1 milhões de toneladas, com crescimento de 50,3% em relação a 2013. A mandioca e a cana-de-açúcar apresentam queda em suas estimativas, de 26,2% e 11,9%, respectivamente. O levantamento foi elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e analisado pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia da Secretaria do Planejamento (Seplan).

Os dados relativos à soja contabilizam 3,7 milhões de toneladas, crescimento de 35,9% ante 2013. O algodão também exibe uma alta considerável de sua produção física (34,8%). Vale ressaltar que a melhora do desempenho da safra de grãos observada nessa terceira LSPA do ano deve-se à revisão nas estimativas de produção de algodão, milho e soja. O primeiro tinha uma previsão de resultado igual ao da safra de 2013, enquanto o milho aumentou cerca de 700 mil toneladas em relação ao último levantamento, de fevereiro de 2014.

A estimativa da produção de algodão mostrou um aumento em relação ao levantamento passado, apresentando agora uma alta de 34,8% na comparação com a safra passada. Esse aumento aconteceu devido à revisão dos dados do produto, que apontavam o mesmo desempenho da safra de 2013. Agora a produção física de algodão está estimada em 1,2 milhão de toneladas, enquanto que sua área plantada saiu de 296 mil ha para 358 mil ha (expansão de 21,1%).

Outro responsável pelo aumento na estimativa da produção de grãos foi o milho. Assim como o algodão, também teve uma significativa alteração nos seus dados. A previsão da produção física agora é de 3,2 milhões toneladas para o ano de 2014, aumento de 50,3% em relação à safra anterior e incremento de 700 mil toneladas em relação ao levantamento realizado em fevereiro. A área plantada teve elevação de 25%, chegando a 850 mil ha.

Além das culturas de algodão e milho, a soja também teve mudança em seus dados na expectativa para a safra de 2014. A variação em relação à 2013 aponta, neste momento, um incremento de 35,9% – aumento de 6,1 p.p. na comparação com o levantamento anterior, com estimativa de produção física de 3,8 milhões de toneladas.

O cacau, que nos estudos anteriores, apresentava uma projeção de resultado igual ao da safra passada, nesse levantamento apontou um aumento de 3,5% em sua produção física. Essa previsão é fruto das chuvas que ocorreram na região produtora e também do crescimento do rendimento da produção, com alta de 3,2%.

As culturas de café e sorgo têm previsão de alta para a safra de 2014, mas pelos dados de março o otimismo das duas culturas decaiu. O café agora tem uma alta projetada na produção de 8,3%, explicada pelo aumento da área colhida, de cerca de 9%. Já o sorgo tem previsão de variação positiva na produção de 96,4%. Em fevereiro, a estimativa de crescimento era de 279%.

A mandioca também registrou mudanças em seus dados, saindo de uma estimativa positiva para uma previsão negativa. Assim, apresenta agora uma queda de 26,2% em sua estimativa de produção na safra de 2014. Essa baixa é decorrente do aumento na retração de sua área plantada, que agora é de 31,6%. O mesmo acontece com a cana-de-açúcar, que agora tem expectativas negativas para sua produção, apresentando queda de 11,9%, enquanto que no levantamento passado a perspectiva era de crescimento de 5%.

O feijão é o destaque negativo dessa LSPA, já que até então apresentava estimativa de crescimento para sua produção. No levantamento de março, o otimismo deu espaço às perspectivas negativas. A produção estimada de feijão agora é de -7,8% na comparação com a safra passada. Esse decréscimo pode ser explicado pela redução de 19,5% da área plantada, resultando em retração em relação a 2013.

Os dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a primeira safra de 2014, referentes ao sétimo levantamento da produção de grãos da safra 2013/2014 (março), também continuam apontando expansão na safra de grãos, que pode chegar a um aumento de 32,6%. Nesse levantamento também houve ajustes na produção de milho e soja, que agora exibem expectativa de aumento de 52,1% e 22,1%, respectivamente. As demais culturas permaneceram com seus dados inalterados: algodão (+33,2%), feijão (+29,4%) e sorgo (+526,3%).

Os dados da Conab seguem metodologia diversa da adotada pelo IBGE, uma vez que levantados em relação ao ano safra, que vai de outubro de 2012 a setembro de 2013, enquanto o IBGE considera o ano civil.

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: