Pular para o conteúdo

Conab recebe novas escrituras de terrenos  para construção de armazéns

03/04/2014

Neste mês de abril, mais cinco municípios em diferentes regiões do país concluem o processo de doação de terrenos para a construção de novos armazéns da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Estão sendo disponibilizadas áreas em Viana/ES, Luís Eduardo Magalhães/BA, Quixadá/CE, Petrolina/PE e Campina Grande/PB. Todas já possuem Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) para as novas unidades armazenadoras.

Também já está pronto o EVTEA para a construção de um armazém em Xanxerê/SC, cujo terreno foi repassado à Companhia em dezembro do ano passado. A Conab ainda estuda a viabilidade de construção de uma nova unidade em Cerejeiras, no estado de Rondônia, onde o governo local já disponibilizou o terreno.

Investimento – O Plano Nacional de Armazenagem prevê, conforme Lei Orçamentária de 2014, recursos de R$ 135 milhões na construção de novos armazéns e de R$ 68 milhões na reforma de unidades já existentes. Para 2015, estão previstos outros R$ 263 milhões – R$ 77 milhões na reforma e ampliação de 52 UAs existentes e R$ 185 milhões na construção de 6 novas.

Um dos objetivos do Plano é aproximar a Conab das novas fronteiras agrícolas e, assim, agilizar a logística de abastecimento. Exemplo disso é a construção de uma unidade graneleira em Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia, na próspera região conhecida como Matopiba. No caso da Bahia, a Conab vai investir um total de R$ 45 milhões. Além do novo armazém, também serão reformadas as UAs de Irecê, Itaberaba, Entre Rios, Ribeira do Pombal e Santa Maria da Vitória – todos centros fundamentais para a execução das políticas públicas voltadas para a agricultura familiar.

Licitação – Na próxima semana, o Banco do Brasil deve publicar o edital de licitação para a contratação de três empresas que vão elaborar os projetos das 73 unidades armazenadoras já existentes em todo o país, divididas em três lotes.(Mônica Simões/Conab)

A doação do terreno de Luís Eduardo está em compasso de espera, pois o Ministério Público representou contra a permuta da área pública em troca da área onde seria construído os armazéns. A torcida é para que a Justiça tenha uma decisão antes que o Município perca a obra, importante para os produtores da Região e para os consumidores de todo o Nordeste.

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: