Pular para o conteúdo

“Uma resposta aos ataques de vereadores”. Um artigo de Eder Fior.

14/08/2011
tags:

“Tudo o que eu precisava dizer a respeito das recomendações apresentadas pelo respeitável Ministério Público Estadual acerca da atuação da Guarda Municipal de Luís Eduardo Magalhães eu já disse e basta. Uma das razões da recomendação foi porque eu mesmo solicitei do Ministério Público a interpretação da Lei Municipal e qual entendimento jurídico a respeito da atuação da Guarda Municipal. Assim, depois de receber as recomendações e depois de reunião com o Prefeito Municipal, restou decidido acatar todas as recomendações.

            Não mudei o meu discurso e continuo defendendo uma Guarda Municipal cada vez mais atuante e a serviço de toda sociedade, como também defendem outros profissionais da segurança pública, operadores de direito, políticos, sindicatos e até o Ministério da Justiça.

A propósito, aguardamos serenos a aprovação de Projeto de Emenda Constitucional n. 534/02, que tornará as Guardas Municipais em todo país capazes de executar a função policial nos municípios, devendo a votação do Projeto ocorrer nesse semestre ainda, segundo nos informou o Presidente do Congresso Nacional durante a Marcha Azul Marinho 2011, em Brasília.

O que não é aceitável é que alguém que deveria defender a classe dos Guardas Municipais e trabalhar por melhores salários para esses, pegar as recomendações do Ministério Público e transformar issoem discurso Políticocom o único objetivo de me atacar “no pessoal”.

Todos sabem que o “advogado das causas perdidas nessa cidade” na qualidade de vereador sempre foi meu inimigo político. É de conhecimento geral que ao invés de exercer a plenitude de seu mandato e trabalhar para sociedade, esse vereador passou todo seu mandato exclusivamente me perseguindo, me atacando e sempre com requintes de maldade e leviandades.

O problema do “doutor das causas perdidas” é que ele desejava presidir a Câmara no primeiro biênio e perdeu para mim, ainda assim ousou acreditar que poderia exercer por sobre mim influência para que eu fizesse prevalecer as suas egoístas vontades na câmara e isso ele também não conseguiu.

Ousem buscar do vereador que me ataca, uma única ação efetiva para o bem da coletividade. Não existe. Porque o combustível do mesmo é o meu nome e seu desiderato é abrir sua boca imunda para pronunciar meu nome.

Invejoso, cheio de dor-de-cotovelo, infeliz e desacreditado, da altitude do seu ego e prepotência nunca conseguiu me alcançar, por isso ousa, lançar mão de medidas adotadas por instituição séria como o Ministério Público para fazer politicagem barata.

Sempre que eu errar, serei Homem com “H” maiúsculo para assumir meus erros, para mudar um comportamento ou uma forma de agir. Mas no caso da nossa atuação à frente da Secretaria de Segurança, Ordem Pública e Trânsito, nada tenho para me arrepender ou me desculpar, isso porque tudo o que foi feito, foi feito com conhecimento e autorização do Exmo. Prefeito Municipal a quem estou subordinado. Foi realizado também com o conhecimento prévio, através de ofícios emitidos pela Secretaria ao Ministério Público e ao Juiz de Direito e com a participação dos comandantes e comandados da Polícia Militar, Civil e Rodoviária Federal. Diga-se por oportuno, que todas essas iniciativas foram festejadas pela sociedade do bem que estavam reféns da violência no município.

A exploração política pelo causídico vereador, cheio de recalques, acerca da atuação da Guarda Municipal, atacando frontalmente a minha pessoa é demonstração de que é o meu inimigo pessoal e inimigo de toda sociedade que aplaudiram as ações da Secretaria de Segurança, Ordem Pública e Trânsito no município.

Vale esclarecer ainda que o que muito dói para esse vereador e mais um ou dois aliados políticos do mesmo, é o fato do seu assessor parlamentar ter sido exonerado da função de secretário para minha assunção, à Secretaria, logo após ter sido presidente do Poder Legislativo. Desejava o edil, meu inimigo político, controlar duas ou até três secretarias no município, já que sua esposa ocupa uma das pastas na administração e que deveria ser amplamente fiscalizada pelo edil, o que só não faz por razões bastante óbvias.

Mas, são dois os vereadores que me atacam, apenas dois, todos os demais merecem o meu mais profundo respeito e consideração pois, sempre foram sensatos e capazes de exercerem de forma competente e com independência os seus mandatos, dividindo o lado político do pessoal.

E de lado o “doutor das causas perdidas”, o outro que me ataca não merece muita consideração, eis que já falido em todos os aspectos da sua vida, ele só me ataca porque não é capaz de pensar por si, mas pela cabeça de outros.

 O modo de proceder desse vereador tanto em suas atividades profissionais como políticas estão estampadas em diversas certidões policiais nesta cidade, reflexo do seu caráter. É meu inimigo político porque não permiti fazer como Presidente da Câmara o que ele se acostumou fazer na sua vida pessoal e profissional.

Absurdo explorarem politicamente assuntos sérios, que deveriam ser tratados com seriedade, ousando dizer que o Ministério Público “errou”, quanto desrespeito.

Por isso fico com o sábio conselho recebido a algum tempo de um Amigo, disse-me ele: “Olhe para vidas dessas pessoas que lhe atacam e olhe para sua vida, olhe o que eles foram capazes de fazer até agora com o mandato deles e olhe o que você fez com o seu! Você herdou um esqueleto de prédio inacabado e transformou em realidade a sede própria da Câmara Municipal, implantou ISO 9001 para dar qualidade aos serviços da Câmara, foi autor de diversas leis importantes para sociedade como a lei que proíbe desperdício de dinheiro público e várias para a segurança pública, proporcionou qualificação e melhorias salariais com aumentos de até 50% no salário dos servidores concursados da câmara, acabou com os cabides de emprego no Poder Legislativo, determinou aquisições através de licitações durante sua gestão, foi por convite para uma secretaria espinhosa e buscou, seguindo determinações do Prefeito Municipal, qualificar e treinar os Guardas Municipais. Inaugurou uma base operacional, conseguiu 03 veículos para ronda escolar aproximou-se das polícias, servindo a sociedade com ações práticas, trabalhou em diversos projetos para trânsito e sua municipalização. E eles, o que foram capazes de fazer?”

Por isso, finalizo dizendo que não aceito e que ficam totalmente rechaçadas as assertivas politiqueiras lançadas contra mim por dois desacreditados vereadores na primeira sessão da Câmara Municipal de Luís Eduardo Magalhães, neste semestre, e reproduzido por alguns órgãos de imprensa.”

Nota da Redação:

Eder Fior deve voltar à Câmara de Vereadores, ocupando sua cadeira, nesta terça-feira.

One Comment leave one →
  1. Vanessa permalink
    15/08/2011 15:27

    Quem geralmente não tem capacidade de argumentação, parte para o ataque!!! E esses ataques são em torno de pessoas que se demostram competentes e que trabalham em prol de uma sociedade mais justa!!! Continue trabalhando desta forma, levando em conta sempre os que precisam de sua representatividade inteligente e eficaz. Escutar besteira de quem não tem o que fazer é totalmente normal pois é a arma dos incapazes!!! Bom trabalho de volta a Câmara.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: