Pular para o conteúdo

Câmara relata ações da atual gestão.

24/11/2010

Próximo do final de dois anos de gestão, muitas foram às mudanças e ações realizadas pela Câmara Municipal de Vereadores de Luís Eduardo Magalhães. Razão pela qual é motivo de muito orgulho para a atual legislatura que, tem procurado, através de todas essas iniciativas – proporcionar maior organização e qualidade nos serviços prestados, demonstrando que é possível ter uma entidade pública tão eficiente quanto à iniciativa privada. Dentre as principais ações está à criação de leis de leis de incentivo para os servidores, reorganização dos processos, procedimentos e arquivos da instituição, mais transparência e contenção nos gastos para melhor aplicação do dinheiro público. O objetivo é a conclusão da construção de sua sede própria e, principalmente, a reaproximação com a população, permitindo uma mudança quanto à visão que se tinha do Poder Legislativo – antes desgastado e desacreditado em função de problemas ocorridos em gestões passadas. Iniciativa que dará ainda maior contribuição neste sentido e que deve legitimar o objetivo de se ter uma Câmara de Vereadores eficiente e de qualidade total em seus serviços é a implantação de um sistema de gestão de qualidade, com a certificação ISO 9001. Em entrevista, o presidente Eder Ricardo Fior fala sobre a importância da implantação do sistema, ações desenvolvidas em sua gestão e faz uma avaliação sobre a herança que será deixada por ele ao próximo presidente. Acompanhe a entrevista da ASCOM com o Presidente:

Foto jornal Classe A

ASCOM: Embora já muito conhecida no meio empresarial, ainda existe desconhecimento acerca do que venha a ser a certificação ISO 9001. Do que se trata?

ERF: Trata-se da implantação de uma rotina padronizada de tudo que envolve aquela empresa ou entidade de modo que torne mais ágil, dinâmico e, principalmente, eficiente toda rotina de trabalho, atingindo com isso qualidade total na prestação do serviço ao cliente. Essa certificação acontece depois de uma auditoria que checa todos os itens de acordo com um padrão internacional e que se deve renovar a cada ano.

ASCOM: De que forma surgiu a ideia de se adotar na instituição um sistema de gestão de qualidade?

ERF: Todas as empresas que conheci no passado e acompanhei após a implantação ISO 9001 tornaram-se empresas com mais credibilidade, eficiência e qualidade. Observei anos atrás, o quanto a OAB/SP – entidade na qual estive ligado como advogado por vários anos -, transformou em máxima eficiência e qualidade os serviços prestados aos seus advogados. Antes da implantação isso era horrível. Visitei também em Salvador, a única câmara deste Estado que obteve a certificação e também constatei o sucesso do sistema. Assim, decidi que seria possível tornar a Câmara de Luís Eduardo Magalhães, um padrão de qualidade nos serviços prestados à população. E a única do interior do Estado da Bahia e das poucas do Brasil a poder dizer que detém um certificado internacional de qualidade, com servidores eficientes, satisfeitos e uniformizados e com rotinas de trabalho eficazes e de qualidade total.

ASCOM: Sem a implantação dos procedimentos da ISO 9001 já em sua gestão, como os trabalhos aconteciam anteriormente?

ERF: Sem nenhum procedimento, sem padrão, tudo era difícil. Para se consultar um documento na câmara era quase impossível, pois arquivos não existiam. Tudo era totalmente desorganizado, muito burocrático e ineficaz.

ASCOM: Quais foram às mudanças que a Câmara teve de passar a adotar e ainda está fazendo para quê possa receber a certificação?

ERF: São muitas as mudanças, praticamente de quase tudo o que existia no passado. Todos os nossos formulários foram padronizados, os requerimentos formulados pelos vereadores, os procedimentos com fornecedores de produtos e serviços e até o cerimonial foram adequados, agora faltam pequenos detalhes que já estão sendo ajustados para recebermos à certificadora e certamente comemorarmos.

ASCOM: Há quanto tempo a Câmara de Vereadores está passando pelo processo de certificação e de que forma isso acontece?

ERF: Há cerca de dez meses mais ou menos. Primeiramente, contrata-se um consultor – profissional neste sistema de certificação, que passa a elaborar as rotinas, treinar os servidores e estabelecer as padronizações. Quando esse consultor avalia que tudo está nos conformes, uma certificadora internacional é convocada proceder a uma auditoria. Uma vez aprovado, é emitida a certificação de qualidade que tem prazo de um ano.

ASCOM: Quais são os maiores benefícios que essa certificação vai trazer à Câmara e seus colaboradores, e por fim, ao seu público final? A certificação deve ocorrer ainda neste ano?

ERF: São vários os benefícios de tornar-se uma instituição certificada, mas acredito que os principais sejam a eficiência e qualidade total nos serviços. Conforme previsão, a auditoria deve ocorrer ainda neste ano.

ASCOM: Conforme já divulgado, depois de certificada, a Câmara de LEM será a única a dispor de tal sistema no interior do Estado. O que isso representa para o Poder Legislativo e município?

ERF: A demonstração de que é possível sim, uma entidade de serviço público e político ser tão eficiente quanto à iniciativa privada e ter servidores qualificados e eficazes e, principalmente, deixando os seus “clientes” (o povo) satisfeitos quando buscam atendimento e vêem tudo isso acontecer.

ASCOM: Quais foram as suas principais ações a frente do legislativo?

ERF: Destacaria a reorganização de todos os processos, procedimentos e arquivos; leis de incentivo aos funcionários como gratificação por produtividade, vale transporte, abonos e outros benefícios; leis de contenção de despesas e de impessoalidade (criação de formulários e logotipos que ressaltem o Poder Legislativo e não a pessoa do gestor, que não poderão ser alterados); controle de veículos e combustíveis; término da sede própria da Câmara e suas instalações num montante de quase 6 milhões de reais (economizando assim aluguéis altíssimos na casa de R$ 15.000,00 por mês), a entrega de um prédio próprio maravilhoso que se constituiu na maior obra pública 100% municipal até o momento; a implantação e certificação do sistema de qualidade dos serviços ISO 9001; realização de concurso público para dotação de 34 cargos para tornar ainda mais eficiente os trabalhos e impossibilitar contratações de servidores sem concurso público; reaproximação da câmara com a população, pois a imagem do Poder Legislativo estava extremamente desgastada na opinião pública em razão de problemas de gestões passadas; máxima transparência das contas com publicações em jornais e diário oficial mensalmente dos balancetes financeiros, concurso, licitações, etc.; procedimentos licitatórios ou concorrências em todas as suas compras; diminuição das contas fixas (telefones, luz, água, gráfica, materiais de expediente, etc.); reforma e adequação à Constituição Federal do Brasil, da Lei Orgânica do Município e do Regimento Interno da Câmara Municipal que, diga-se de passagem, tratam-se das duas leis mais difíceis no âmbito municipal de se levar a plenário e serem modificadas; e a aprovação em plenário, entre os anos de 2009 e 2010, de quase 180 leis, mais 1000 indicações ao Poder Executivo, diversas resoluções, decretos, atos regulamentares e requerimentos.

ASCOM: Em seu ver, qual deve ser a herança deixada para o próximo presidente?

ERF: Uma câmara com quase tudo no lugar, eficiente nos seus serviços, contas públicas zeradas e sem nenhuma dívida, funcionários mais satisfeitos, rotinas padronizadas, prédio próprio, organizada e, principalmente, com uma excelente avaliação na opinião pública.

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: