Pular para o conteúdo

Ministério Público recebe graves denúncias sobre Governo Jusmari.

15/09/2010

Não podemos estar presentes, ontem à tarde, no recinto do Ministério Público, quando foi entregue, ao promotor Eduardo Bittencourt, alentada documentação sobre as contas da Prefeitura Municipal. No entanto, o inquisitivo e perscrutante jornalista Fernando Machado lá esteve e faz um relato estupefaciente em seu blog Sítio do Zé Dendágua. Por outro lado, outro pesado dossiê distribuído à imprensa é contundente. A vice-prefeita e candidata à Assembléia, Regina Figueiredo, é a principal responsável pela divulgação das contas da Prefeita. O relato de Fernando Machado:

“Na tarde de ontem (14/set) a sala do promotor público da Bahia, Eduardo Bittencourt, foi palco da entrega de diversas denúncias contra a atual gestora do município de Barreiras, Jusmari Terezinha (PR). Denúncias estas protocoladas pelo engenheiro elétrico José Roberto Araújo (ex-secretário municipal de administração).

Apesar de ter alegado sobrecarga quanto às apurações, a qual ocasiona lentidão e consequente sensação de impunidade, Eduardo Bittencourt garantiu a imprensa presente que dará prioridade as investigações e a respectiva apuração dos casos.

Segundo os relatos das denúncias, muitas são as irregularidades cometidas na atual gestão municipal, as quais caso comprovadas realmente poderão custar desde multa até a ceifa do mandato da prefeita Jusmari.

O relatório afirma que a prefeitura municipal de Barreiras gastou em 2009 quase R$ 15 milhões com contratos e serviços realizados sem licitação pública. R$ 7,7 milhões com a realização de eventos diversos, desde o carnaval que custou pouco mais de 3,3 milhões, até a comemoração do aniversário de um time de futebol amador, o qual consumiu dos cofres públicos da cidade mais de 5 mil reais. Somente nestes dois itens foi extraído quase um quarto de toda receita da prefeitura em 2009.

Três graves denúncias

Dezenas de denúncias foram feitas, mas três em especial chamam atenção. A primeira dá conta de uma viagem realizada por duas servidoras públicas municipais a cidade de Santo Ângelo, no Rio Grande do Sul. Porém, segundo os documentos, uma delas possui apenas nove anos de idade.

A segunda garante que a prefeitura de Barreiras doou duas urnas mortuárias ao mesmo defunto, num intervalo de cinco dias entre o primeiro e o segundo sepultamento. No primeiro enterro, o caixão custou 1,7 mil reais. Já para o segundo e mesmo passamento, o valor foi de R$ 435,00.

No terceiro caso o MP investiga por meio de Inquérito Civil Público, um pagamento realizado via cheque assinado pela prefeita Terezinha no valor de 50 mil reais. Neste observou-se que não há a assinatura do documento legal “Ordem de Pagamento”, mas o recibo pelo “serviço” fora anexado, porém sem nem uma descriminação, literalmente em branco.”

Quem quiser tomar conhecimento do dossiê distribuído à imprensa, deve fazer um email para jornaloexpresso@gmail.com, solicitando-o. O grande volume de documentos não permite a divulgação nesta página.

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: